Mais jovem deputado eleito em Goiás caminha entre governo e independência no Legislativo, mas defende projetos que gerem emprego e desenvolvimento para os municípios goianos.

Mais jovem deputado estadual da 19ª Legislatura, Wagner Neto (Patriotas), foi eleito aos 27 anos praticamente com os votos de sua cidade, Itapuranga, onde recebeu 58,5% dos 14.256 votos que obteve no dia 07 de outubro de 2018. Proporcionalmente, Neto foi o deputado estadual mais votado em seu município no país.

A votação consagradora em Itapuranga confirma a tradição política. Seu pai, Júnior Camargo foi prefeito por dois mandatos pelo PSDB. Neto iniciou cedo nas lides políticas no movimento estudantil universitário, tendo sido coordenador do DCE (Diretório Central dos Estudantes) da PUC-GO (Pontifícia Universidade Católica de Goiás), onde cursa Engenharia Civil.  Em 2016 foi eleito o vice-prefeito mais jovem do país (25 anos). No município ele exerceu o cargo de secretário de Infraestrutura e Cidades.

Em visita à redação do Diário da Manhã, Wagner Neto contou um pouco de sua trajetória, e os seus planos neste primeiro mandato, que pretende exercer como representante de Itapuranga e de todo o Vale do São Patrício, onde recebeu votação em praticamente todos os municípios. “Vamos lutar pelo desenvolvimento de nossa região, buscando atrair investimentos do governo e também da iniciativa privada”, garante.

Incentivar a produção de energias renováveis como a eólica, solar e a co-geração em usinas de álcool e açúcar é uma das prioridades. “Meu pai ganhou um prêmio junto ao Ministério das Cidades por introduzir placas de energia solar em conjuntos habitacionais para população de baixa renda”, comenta.

Outro tema que ele pretende debater é a desburocratização. Para Wagner Neto, ainda é gasto muito  tempo abrir empresas em Goiás. “A máquina do Estado deve estar à serviço do empreendedorismo”, frisa.

O deputado, que pode trocar o Patriotras pelo Pros, do vice-governador Lincoln Tejota, também conversa com a direção de seu partido no Estado, que é comandado pelo ex-secretário da Fazenda Jorcelino Braga. “Tivemos uma conversa e Braga nos deixou muito à vontade para contribuir com o partido em Goiás, independente da minha posição na Assembleia Legislativa”, comenta.

Wagner Neto ainda não tem uma posição consolidada se caminha com o governo, com a oposição ou se fica na condição de independente. “As urnas deram um recado em 2018 elegendo o senador Ronaldo Caiado no primeiro turno. Vamos estar atentos aos primeiros posicionamentos do governo, e nosso interesse é fazer o melhor por Goiás, ajudando no desenvolvimento do Estado”, resume.