Em entrevista ao “DQD”, da Rádio Interativa FM, líder do governo disse que presidente Jair Bolsonaro tem diálogo com os sete governadores de esquerda do Nordeste e que numa eventual vitória de Antônio Gomide o tratamento será o mesmo.

Marcus Vinícius de Faria Felipe

Líder do governo do presidente Jair Bolsonaro no Congresso Nacional, o deputado federal Major Vitor Hugo (PSL-GO), foi sabatinado pelos jornalistas do DQD , programa campeão de audiência da Rádio Interativa de Goiânia.

Militar do Exército, ele se formou  na Academia Militar de Agulhas Negras (a mesma que cursou o presidente) e  é assumidamente um “Bolsonarista raiz”. Vitor Hugo foi questionado sobre uma eventual vitória do ex-prefeito Antônio Roberto Gomide (PT), que lidera as pesquisas em Anápolis, à frente do atual prefeito Roberto Naves, que é do PTB, partido do ex-deputado federal Roberto Jérfferson, um dos principais aliados do presidente Jair Bolsonaro.

Com tranquilidade, Vitor Hugo descartou a hipótese de retaliação política. Primeiramente disse torcer para que “Anápolis não caia nas mãos do PT”, depois, citou como exemplo a relação do presidente com os estados do Nordeste Brasileiro, onde dos 9 governadores, 7 foram eleitos por partidos de esquerda (PT, PC do B, PSB) e outros dois pelo MDB e PSD, mas em alianças à esquerda, e posicionamento contrário ao Palácio do Planalto:

“Temos o Nordeste brasileiro, onde dos 9 estados, 7 são de partidos assumidamente de esquerda e temos dois que são centro mais com alinhamento muito claro à esquerda, e o presidente em momento algum, no nosso governo, deixou de lado o Nordeste em nenhum momento. Então eu quero manter isto como exemplo, de que o presidente não fez isto com o Nordeste, certamente não faria isto com Anápolis”, frisa.

“Não vai haver perseguição, mas nós estamos falando de 5.400 municípios, isto quer dizer que o presidente não vai estar tomando conta de Anápolis no dia-a-dia”, resumiu.

 

Confira o áudio com a fala: