Presidente havia ironizado a doença, dizendo que era “onda da mídia” e agora pode ter que lutar contra o vírus que se transformou numa pandemia.


O presidente da República Jair Bolsonaro usou uma rede nacional de TV para desconvocar os atos que estimulou no próximo dia 15 de março, domingo.

Os atos seriam um protesto contra o Congresso e o STF.

A alegação foi a pandemia de coronavírus.

Testado, Bolsonaro aguarda o resultado de seu exame para esta sexta-feira, 13.

Seu assessor de comunicação Fabio Wanjgarten testou positivo para o coronavírus e pode ter contaminado colegas e autoridades dos Estados Unidos.

A Secom, de Wanjgarten, usou trecho de discurso de Bolsonaro nos Estados Unidos para convocar à manifestação do domingo.

Wanjgarten fez parte da comitiva de Bolsonaro que encontrou o presidente Donald Trump e o vice-presidente Mike Pence na mansão de Mar-a-Lago, na Flórida, no início da semana.

Não está claro se Wanjgarten levou o vírus do Brasil para Miami ou trouxe o vírus de lá.

A primeira dama Michelle e o deputado federal Eduardo Bolsonaro também foram testados para o coronavírus.

O recuo de Bolsonaro se dá num quadro de extrema fragilidade interna e externa.

No Brasil, a Bovespa derreteu e o dólar fechou o dia a R$ 4,79, apesar das intervenções do Banco Central.

No Exterior, mesmo com a promessa do Banco Central dos Estados Unidos de torrar até U$ 1,5 trilhão para comprar papéis podres do mercado, Wall Street viveu o pior dia desde o desastre de 1987.

Os indicadores já apontam para uma sexta-feira de muitas perdas nos mercados asiáticos, que podem ser replicadas em seguida na Europa e nos Estados Unidos.

É quase certo que à desaceleração — que já vinha sendo observada nas principais economias do mundo — vão se somar os impactos da pandemia, que podem causar uma nova recessão mundial.

Uma quebradeira à moda da grande crise financeira de 2008 não está fora do horizonte.

Sem partido, sem um plano para enfrentar a recessão e sem noção, Jair Bolsonaro parece ter chegado à conclusão de que é melhor evitar que um fracasso nas manifestações do próximo domingo possa ser atribuído a ele.

Leia mais:

Fox: Teste positivo de Bolsonaro para coronavírus provoca reunião de emergência na Casa Branca

 

 

Marcelo Zero: Bolsonaro é rei nu e doente; maré baixa revela-o em toda a mediocridade e insanidade