Pela segunda vez, Moro tira proveito de decisões que tomou como juiz e se pendura na Odebrecht através de empresa dos norte-americana.

Com a campanha de 2018 ainda em andamento, Sergio Moro foi sondado pelo candidato Jair Bolsonoro sobre assumir o Ministério da Justiça.

Foi o que acabou acontecendo.

Moro já tinha limpado o caminho da direita ao condenar o ex-presidente Lula e, na reta final do primeiro turno, divulgou a delação fake do ex-ministro Antonio Palocci, como forma de prejudicar o candidato do PT, Fernando Haddad.

No governo de tons neofascistas, Moro e Bolsonaro foram “um só”, nos dizeres da esposa do ex-juiz, Rosângela.

Ele saiu do governo atirando, de forma mais uma vez oportunista, certo de que o elo entre a Lava Jato e o Grupo Globo era suficientemente sólido para poupar a emissora de qualquer investigação e ele, Moro, de qualquer crítica — a Globo passou batido pela Vaza Jato.

As investigações da Lava Jato praticamente destruiram a maior construtora do Brasil, a Odebrecht, e milhares de empregos, poupando os executivos criminosos que fizeram uma delação seletiva e combinada, deixando de fora os que não interessava acusar.

Com isso, os concorrentes da Odebrecht se deram bem em todo o mundo e os empregados da empresa comeram o pão que o diabo amassou.

Agora,o ex-ministro Sergio Moro vai ganhar dinheiro “sujo” da Odebrecht, através de uma empresa dos Estados Unidos, numa área que ajudou a criar, a de compliance:

Sergio Moro assume cargo de diretor em empresa de consultoria em SP

Ex-ministro da Justiça de Bolsonaro foi anunciado neste domingo (29) como novo diretor da empresa de consultoria americana Alvarez & Marsal, escritório que atua como administradora judicial da Odebrecht, empreiteira investigada pela Lava Jato.

Do G1

 

Consultoria contra o Brasil

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro foi anunciado neste domingo (29) como novo diretor da empresa de consultoria americana Alvarez & Marsal.

Trata-se do escritório que atua como administradora judicial da Odebrecht, empreiteira investigada pela Lava Jato. À TV Globo, o ex- ministro confirmou a nova função e informou que não vai se pronunciar no momento.

No anúncio divulgado em seu site, a empresa afirma que o ex-juiz vai comandar a área de disputas e investigações a partir de dezembro.

O objetivo, segundo o comunicado, é que Moro possa “desenvolver soluções para disputas complexas, investigações e questões de compliance” para os clientes da empresa, com base em sua experiência governamental.

Como juiz federal no Paraná, Moro conduziu os processos da Operação Lava Jato.

O anúncio destaca ainda que Moro é “especialista em liderar investigações anticorrupção complexas” e também em estratégias de compliance.