As inscrições para o 7º Juriti – Festival de Música e Poesia Encenada prosseguem até o dia 1º de maio. Além de premiação em dinheiro para os três primeiros colocados de cada categoria, compositores e poetas selecionados receberão ajuda de custo. O Juriti – Festival de Música e Poesia Encenada está de volta e a sua 7ª edição, devido à pandemia do novo coronavírus, será realizada de forma remota. As inscrições, somente para artistas de Goiás e Distrito Federal, para poesia e música autoral, prosseguem até o dia 1º de maio, sábado que vem, e podem ser feitas por e-mail de acordo com o regulamento que pode ser acessado no site www.festivaljuriti.com.br.  Todos os selecionados do Juriti ganham R$ 300,00 de ajuda de custo e concorrem a premiações de 1 mil, 2 mil e 3 mil reais. A 7ª edição do Juriti conta com o apoio do Fundo de Artes e Cultura do Estado de Goiás.
Banda Mundhumano – 1º lugar na categoria música  no 6º Festival Juriti de Música e Poesia Encenada A direção do festival, preocupada com o avanço da pandemia, afirma que conseguiu encontrar um formato observando os protocolos de saúde exigidos.  “Estamos montando todo um planejamento com os objetivos de resguardar a saúde das pessoas e equiparar as condições de concorrência no formato virtual, já que somos um festival competitivo. Nesse planejamento, daremos um voo de cada vez, até porque futuras etapas estão sujeitas a novas adaptações, conforme o andamento da pandemia. Primeiramente estamos determinando uma nova data limite para inscrições”, afirma Ricardo Edilberto, diretor do 7º Juriti. Segundo Ricardo, as inscrições feitas antes da modificação da realização presencial para on-line, estão mantidas. O diretor alerta que todo o processo de inscrição pode ser feito dentro de casa. “Ninguém precisa se arriscar. Na Categoria Poesia Encenada não muda muito, pois são enviados apenas arquivos em PDF. Já na Categoria Música, destacamos que enviar o áudio gravado em estúdio ou de forma caseira não fará diferença à seleção dos concorrentes. Nosso foco são a originalidade, a qualidade e a diversidade apenas das composições”, frisa o diretor.
A atriz e escritora Sandra Santiago – 1º lugar na categoria  Poesia Encenada no 6º Juriti   Lara Morena, produtora do 7º Juriti – Festival de Música e Poesia Encenada, acredita que o momento exige ação no sentido de promover a cultura no País, já que a classe cultural foi uma das mais prejudicadas nesta pandemia que avança há mais de um ano. “O Juriti precisa voar. Acreditamos ser notório o papel fundamental que o Festival alcançou no meio artístico regional. Se o palco virtual é, hoje, nossa única opção, que assim seja. E que o nosso voo on-line ajude-nos a formar uma grande onda de força para que possamos enfrentar esse momento cada vez mais com união, sabedoria e solidariedade. Vamos juntos invadir o espaço internético com a vitalidade de nossa performática arte. Inscrevam-se!”, incentiva a produtora. O Juriti na História Criado por um grupo de jovens do Setor Criméia Leste, em Goiânia, o Festival, mesmo sendo competitivo, tem como característica principal a confraternização de artistas da música, poesia e artes cênicas, além de se notabilizar como um grande revelador de nomes na cena cultural do Estado. O jornalista, publicitário e cineasta Ricardo Edilberto, Diretor Geral do Festival é remanescente deste grupo de jovens. Ele fala  com orgulho do crescimento do Juriti que começou na periferia de Goiânia  e vem consolidando o seu nome como um dos festivais  da cena autoral mais importantes de Goiás.

Artistas e produtores do Festival durante confraternização de encerramento do 6º Juriti

“Cada edição é uma luta. Quando a gente começou, há 27 anos, não imaginávamos que poderíamos ir tão longe e ser hoje um festival importante para os artistas goianos. No início era só uma alternativa de lazer para a  comunidade. A prefeitura, na época, transformou o campo de futebol da região em praça. Esse campo era o nosso principal ponto de convivência, onde acontecia um grande campeonato de várzea. Morreu o campo, morreu a convivência”.
Com o fim do campo, Ricardo explica que ele e mais alguns jovens do bairro resolveram fazer a primeira edição do Juriti em 1993 como alternativa de convivência comunitária. “Depois, por falta de incentivo, não demos continuidade. A partir de 2009 iniciamos a retomada, já com a parceria de instituições governamentais por meio de leis de incentivo. Desde então, estamos seguindo nessa luta e consolidando nossa história  agora com esta 7ª edição que será online devido à pandemia”. Ricardo faz questão de ressaltar, ainda, que o Juriti, em suas últimas edições,  deixou de ser realizado presencialmente no Crimeia Leste por falta de uma estrutura local que comportasse o tamanho atual do Festival. “Voamos para outros espaços culturais por uma questão de necessidade estrutural, mas nunca deixamos de pousar com parte do evento em nossa aldeia que é o Crimeia. Por isso, pelo menos a abertura, a gente continuou realizando no bairro movimentando a cena cultural local”, frisa. Artistas Ao longo de sua história, o Juriti tem contribuído com o voo de poetas, bandas e cantores locais de várias estilos como a  Carne Doce, Chá de Gim, Diego de Morais, Kleuber Garcez,  Rheuter, Lorranna Santos, Milla Tuli, Paula de Paula, Flávia Carolina; dos poetas Kesley Rocha, Dayse Kenia, Luiza Camilo, Mazinho  e Camila Leite, entre tantos outros, além de diversos atores e companhias de teatro com belíssimas encenações das poesias selecionadas. Edição on-line Nas últimas edições, o Festival tem conseguido trazer também atrações nacionais como Jorge Mautner, Walter Franco, Badi Assad e o Grupo Último Tipo, com shows que encantaram o público presente e ajudaram a qualificar o evento, ampliando geográfica e culturalmente seu intercâmbio de saberes. Nesta edição online Ricardo afirma que, devido a pandemia, ainda não há nada definido. ”A gente vive um momento em que tudo é incerto. Não temos como prever nem o que vai acontecer amanhã devido ao avanço da pandemia. Estamos pensando nesta possibilidade, mas não vamos criar expectativas e depois não termos como realizar. Pode acontecer nesta edição on-line,  mas se acontecer, será divulgado posteriormente”.