Testemunho do médico Anfremon Neto, coordenador da UTI do Hospital Getúlio Vargas, em Manaus, revela que a cloroquina não salvou nenhuma vida. Ele diz que ao invés de negar a gravidade da doença Bolsonaro deve levar o covid19 a sério

O médico Anfremon Neto, que votou no presidente Jair Bolsonaro, gravou vídeo no twitter onde diz que é “sacanagem” Bolsonaro e o general Pazuello,  ministro da Saúde,  dizerem que “faltou tratamento precoce” para os pacientes infectados com o coronavírus em Manaus (AM).

Eu passo visita, nas duas UTIs onde trabalho, pelo menos 50 doentes eu vejo por dia nas últimas semanas. Todos eles fizeram tratamento precoce. Todos fizeram azitromicina, fizeram ivermectina, alguns fizeram anita, alguns ainda fizeram hidroxicloroquina. Tudo aquilo que é preconizado como tratamento precoce eles fizeram. Alguns doentes começaram a tomar corticoide em casa, sem ter sintomas respiratórios, que nem é legal fazer”, relatou

Os doentes não são burros. Eles leem, são antenados, compram, fazem estoque em casa sozinhos. Não é falta de tratamento precoce. É sacanagem com a gente dizer que o que está acontecendo aqui é falta de tratamento precoce”, queixou-se. “Eu votei no governo atual, meu voto está declarado, então acho que tenho o direito de criticar a pessoa que eu coloquei lá em cima,” desabafa.

Segunda Onda e negacionismo

Segundo Anfremon Neto a segunda onda da covid-19 é devastadora, e ao invés de continuar com negacionismo, minimizando o coronavírus,  o presidente Bolsonaro deveria estar agindo para proteger os brasileiros.

O que está acontecendo aqui, não desejo para ninguém, mas eu acho que o governo, em vez de ficar fazendo manobras evasivas e dizer que está tudo tranquilo, que está tudo bem, tem de preparar o País para a segunda onda. Se preparem, porque ela é devastadora, é cruel, vai levar muitas vidas. Perdi muitos amigos, estou perdendo colegas de trabalho. Tudo isso é lastimável,” alerta.