Graças a São Led Zeppelin alguém teve a coragem de contar a história do rock em Goiânia e mostrar que a cidade moderna, com traços de Art Decò e bairros no estilo City Garden não vive só de sofrência de corno-sem-vergonha, mas tem também rock in roll nas veias.

Marcus Vinícius de Faria Felipe

Com Ranulfo Borges na direção, dividindo com Wellington Carlos o roteiro e edição de  Katu Leão, nasceu o “Rock dos Goyazes”, documentário que conta a história do som pesado na terra do pequi. Os jornalistas cavaram fundo e trouxeram depoimentos preciosos dos pioneiros do rock in roll no Estado, com entrevistas com Wander Arantes ex-deputado e ex-conselheiro do TCM, que nos anos 1960 fazia a moçada dançar ao som da banda “Os prisioneiros do rock”.

Língua Solta : 40 anos de puro rock underground

Cesinha Canedo (já falecido) e Lorimá Dionísio, o Mazinho, falam da banda Esquema Quatro.  Leo Jayme presta homenagem  “à maior patente do rock goiano”, Almir (o Almirante) do Língua Solta, banda raiz que por 40 anos fez muita gente balançar cabeça em Goiânia e noutras capitais do país.

Leo Jaime: “A música é brasileira e miscigenada, não tem essa de banda que só toca reage, ou hard rock. Eu toco de tudo

Vale a pena conferir os quatro  episódios do documentário, que estão disponíveis do Youtube e saber que houve um tempo em Goiás onde o sertanojo não tinha vez, e quem se afirmava na cena cultural eram nomes como Marcan Camaralina, Fridão, Emídio Queiroz, Vincié,  Metal Letal, Virus, 17º Sexo , Língua Solta, Mortuário, Agentes da Imaginação,  Milicia Armada, Poesia Queimada, Frenesi Precoce, Mechanics, Dominus Tecum, Phantom tudo isto e muito mais que desaguaria depois em casas de show como Casa Nostra, Garage Café, Honk Tonk, Bolshoi e depois nos  festivais de rock na capital do cerrado começando pelo Goiânia Noise, Bananada, Vaca Amarela e por aí vai.

Confira:

EPISÓDIO 1:

EPISÓDIO 2:

 

EPISÓDIO 3:

 

EPISÓDIO 4: