De acordo com o jornal Vetor – principal veículo da região – turistas dispensaram  guia e partiram do Sertão Zen rumo a Cachoeira do Dragão na madrugada de sexta-feira, 18, e não deram mais notícias, até serem encontrados ontem.

Um grupo de cinco pessoas (Gustavo Bacelar, Cássia Sanches, Mauro, Aline e Juliana) saiu de Brasília – DF, para fazer trilha entre o Sertão Zen e a Cachoeira do Dragão, na Chapada dos Veadeiros.

Segundo informações da filha de Cássia, Militize Sanches, sua mãe, ao sair de Brasília, estava na companhia apenas de Gustavo, ela acredita que as outras pessoas se juntaram a eles já na Chapada dos Veadeiros.

Uma operação que envolveu dezenas de bombeiros militares, guias turísticos voluntários, funcionários do ICMBio, funcionários da prefeitura de Alto Paraíso de Goiás, e até um helicóptero, resultou no encontro e resgate de um grupo de cinco pessoas que estavam desaparecidas desde a madrugada de sexta-feira, 18, na Chapada dos Veadeiros.

O Grupo, que fazia a trilha do Sertão Zen para a Cachoeira do Dragão, dispensou o auxílio de um guia, o que não é recomendado, e se aventurou por uma região ainda pouco conhecida até mesmo para alguns guias turísticos da região.

A imprudência dessas pessoas mobilizou os governos de Goiás e do Distrito Federal, que enviaram, além dos experientes Bombeiros Militares, equipes especializadas em resgates, com cães farejadores.

Na manhã desta terça-feira, 22, foi montado um Posto de Comando Operacional no aeroporto de Alto Paraíso de Goiás, utilizado em conjunto pelos Comandantes Gerais do CBMGO e do CBMDF, para gerenciar as buscas pelo grupo.

Estratégia de buscas sendo montada na manhã desta terça-feira.
Prefeito de alto Paraíso de Goiás, Martinho Mendes, cumprimenta o Tenente Paulo Santos pela exitosa operação.

O prefeito Martinho Mendes já havia mandado preparar lanches e água mineral para todos os envolvidos nas buscas, enquanto o Tenente Paulo Santos, do Corpo de Bombeiros Militares de Goiás traçava a estratégia de buscas com as equipes formadas pelos Bombeiros Militares, funcionários do ICMBio, da prefeitura de alto Paraíso de Goiás e de vários guias turísticos voluntários, quando, por volta das 9:30 da manhã foram avisados que o grupo havia sido localizado em um platô próximo a Cachoeira do Dragão pela experiente equipe a bordo do helicóptero número 01 do Corpo de Bombeiros Militares do estado de Goiás.

Segundo informação do senhor Marcelo, um dos experientes líderes nas buscas, o grupo ao avistar uma forte queimada que acontecia na região, e por outro lado, a iminência de fortes chuvas que poderiam elevar o nível da água no rio, preferiram aguardar no platô, onde se sentiram em segurança. Fizeram ainda duas incursões, mas perceberam não haver possibilidade de descida de onde estavam pela enorme altura das encostas.

Após a localização do grupo, os Bombeiros montaram estratégia de resgate. A Operação durou mais de três horas, até que todos estivessem em segurança, já no aeroporto de Alto Paraíso de Goiás. As cinco pessoas resgatadas estavam em perfeitas condições de saúde.

As belezas naturais da Chapada dos Veadeiros, que está inserida nos municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul e São João D’aliança, são mundialmente conhecidas, no entanto, é recomendado a contratação de guias para a visitação na maioria dos atrativos naturais, exatamente pelos diversos tipos de perigos existentes nas trilhas.

Helicóptero dos Bombeiros pousa no aeroporto de Alto Paraíso de Goiás com integrantes do grupo resgatado.

Segundo experientes moradores e trabalhadores no setor turístico da região, o grupo que se perdeu, ao dispensar o guia, cometeram ato de irresponsabilidade, colocando toda a região em estado de alerta, que exigiu tempo de servidores e dinheiro público. O que poderia ter sido evitado se não tivessem economizado um pequeno valor que é cobrado como taxa pelos guias da região, que são, inclusive, treinados pelos próprios Bombeiros Militares de Goiás.

“A irresponsabilidade dessas pessoas poderia ter terminado em uma grande tragédia, que, além da perda de vidas, traria um enorme prejuízo aos trabalhadores do setor turístico da região. Contratar um guia não é “gastar dinheiro”, é investir em segurança pessoal, já que, além de conhecerem bem o caminho, são capacitados para atuar em situações de emergência, como a que se envolveu o grupo” aponta um experiente dono de pousada em Alto Paraíso de Goiás.