Em seu Blog no UOL, o jornalista Jamil Chade informa de Genebra (Suíça) informa que o Tribunal Federal da Suíça afastou o Prcurador-Geral da Suíça e outros dois procuradores, que apuravam corrupção na Fifa, um deles dirigia a Lava Jato em Berna.

De acordo com a matéria publicada no seu Blog, Jamil Chade informa que os procuradores foram afastados após a descoberta de  reuniões não registradas e troca de SMS. Um dos atingidos dirigia também a Lava Jato, em Berna. Ele, porém, mantém esse dossiê.

Entre os afastados estão o procurador-geral da Suíça, Michael Lauber, e outros dois procuradores foram afastados das investigações relacionadas com a corrupção na Fifa. A decisão foi tomada pelo Tribunal Federal da Suíça que, depois de avaliar duas queixas, julgou que os implicados não poderão continuar a fazer parte do inquérito iniciado em 2015.

Lauber é também responsável pelas investigações sobre a Lava Jato. Mas a decisão anunciada não afeta essa dimensão de seu trabalho.

O caso teve início quando a imprensa revelou encontros não declarados entre Lauber e o presidente da Fifa, Gianni Infantino. A realização das reuniões não é proibida. Mas precisam ser protocoladas e registradas.

Um procedimento disciplinar foi aberto contra o procurador. Mas, ao mesmo tempo, duas queixas foram apresentadas ao tribunal local. O resultado foi a constatação de que as ações de Lauber, por sua falta de transparência, colocaria em dúvida sua imparcialidade.

A queixa havia sido aberta por Jerome Valcke, ex-secretário-geral da Fifa e afastado do futebol por suspeitas de irregularidades.

Confira a íntegra da matéria no Blog de Jamil Chade.