Levantamento do jornal mostra que 3.89 milhões das famílias das classes A e B tem um integrante que recebeu os R$ 600,00 destinados aos mais pobres. “Véio” da Havan também recebeu.

Pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva aponta que um terço das famílias pertencentes às classes A e B solicitou o auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal para combater os efeitos da pandemia da Covid-19 e que 69% dos pedidos foram atendidos.

Segundo o levantamento, divulgado pelo jornal Valor Econômico, 3,89 milhões de famílias mais ricas possuem ao menos um integrante recebendo o auxílio.

Reprodução/Valor

“O argumento, em geral, é algo do tipo: ‘Sempre paguei impostos e nunca tive nada em troca do governo’. Ou ainda que ‘a crise está difícil para todo mundo’. São pessoas que realmente acham que têm o direito ao benefício por esses fatores. Não existe um sentimento de que estão cometendo fraude”, disse o fundador e presidente do Instituto Locomotiva, Renato Meirelles.

Reprodução/Valor

Véio da Havan também recebeu

O grupo de hackers denominado Anonymus vazou informação de que o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, é um dos 55 milhões de beneficiários do chamado ‘coronavoucher’, o auxílio emergencial de R$ 600,00.

Hang consta da  lista dos bilionários brasileiros da revista Forbes. Logo, o pagamento do auxílio emergencial no nome e no CPF do empresário, mostra, mais uma vez, as gritantes falhas de segurança do sistema de concessão do benefício.

Luciano Hang, aliado de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro, tomou conhecimento que seu nome estava na base de dados do auxílio emergencial, inclusive com parcelas já pagas, nesta terça-feira, 2, após o vazamento de dados pessoais do empresário e de autoridades pelo grupo de hackers Anonymous, que tornou pública informações sigilosas na segunda-feira. Em uma publicação no Twitter atribuída ao grupo, hackers tentaram usar o nome, CPF, data de nascimento e o nome da mãe do empresário para cadastrá-lo no auxílio emergencial. Porém, ao preencher os dados, o sistema da Caixa informa que Hang já estava cadastrado e recebeu a primeira parcela de 600 reais do programa. Em nota, o empresário condena o vazamento de dados pelo Anonymous e pede investigações a Polícia Federal tanto pela divulgação de suas informações pessoais como no cadastro indevido ao auxílio.

 

Leia a matéria completa no Valor:

https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/06/03/um-terco-da-classe-a-e-b-pediu-auxilio-emergencial.ghtml?GLBID=16c35711047e9224e53f17333b730d0383277317275307a55644c71796277614975306655316c68455671545962517a5255436276646d676a4e6d3454474863416536684a6155334638514775344b2d6341615f6d303067686659665759526b42576535386f413d3d3a303a7566707778626c76706f64727773786e75736e65