Paladino da moralidade durante os tempos da “República de Curitiba”, ex-juiz da Lava Jato agora defende o empresário israelense Benjamin Steinmetz, acusado de corrupção na Suíça e em Israel.

Do jornal Valor Econômico

Benjamin Steinmetz, acusado de corrupção na Suíça e em Israel, contratou o ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro para apresentar duas notícias-crimes contra a Vale envolvendo a ex-sociedade que ele manteve com a mineradora na Guiné. Moro foi contratado antes de se tornar diretor da consultoria estadunidense Alvarez & Marsal.

A Vale investiu US$ 500 milhões, em 2010, para ser sócia de Steinmetz na mina de Simandou, na Guiné. O empresário teria pago propina ao governo do país africano sem a mineradora saber. Depois ele perdeu ação arbitral em Londres e foi condenado a ressarcir a Vale em US$ 2,2 bilhões, mas não pagou e teve os bens bloqueados. A informação foi publicada pelo jornal Valor Econômico.