Anúncio foi feito durante a entrega do primeiro Ipasgo Clínicas especializado em saúde mental.

Segundo informou o governador, os imunizantes integram remessa de 2 milhões da AstraZeneca, produzida na Índia e importada pelo Brasil.

Do quantitativo, será feita uma reserva técnica de 5%, destinada a Estados cujas estruturas de saúde estejam colapsadas, como o Amazonas. A medida foi acertada entre os governadores. Assim, Goiás terá acesso a 132,5 mil doses.

O anúncio do governador foi feito durante inauguração do primeiro Ipasgo Clínicas especializado em saúde mental do Estado, que contou com a presença da presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e coordenadora do Grupo de Políticas Sociais (GPS), primeira-dama Gracinha Caiado. Caiado também publicou a novidade em seu perfil no Twitter.

 “Ontem falei com a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, e ela garantiu que deverá chegar a carga de 2 milhões da vacina Astrazeneca/Oxford, vinda da Índia ao Brasil”, afirmou.

Segundo Caiado, o imunizante será submetido a análise pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e depois será distribuído aos Estados. O plano de vacinação do governo federal estabelece o encaminhamento de 7% das doses nacionais para Goiás, o que totaliza um volume de 140 mil desta nova remessa. A expectativa é de que elas cheguem até a próxima segunda-feira (25/01), apontou o governador. A AstraZeneca ainda será destinada à cobertura dos grupos considerados prioritários.

Ao falar sobre a ordem de vacinação, Caiado foi contundente e disse que as regras devem ser rigorosamente respeitadas, sob pena de imputação de responsabilidades a quem infringir o plano nacional, por parte das instituições responsáveis, quais seja, o Ministério Público e o Poder Judiciário. “Não vamos admitir de maneira nenhuma ‘fura filas’. Todo mundo quer ser vacinado, mas temos que respeitar regras”, alertou. O primeiro grupo, conforme definido pelo Ministério da Saúde, é formado por idosos e pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência; profissionais da área da saúde que atuam na linha de frente contra a Covid-19; e indígenas aldeados.

Como não vai ser possível cobrir completamente essa população prioritária com as doses da Coronavac e da AstraZeneca, Caiado voltou a pedir que a população não se descuide das medidas de segurança sanitárias.

Fotos: Wesley Costa

Fonte: Secretaria de Comunicação-GO