A obra do maestro brasileiro Heitor Villa-Lobos é apresentado ao público no Dia Nacional da Música Clássica.

A UNIALFA em conjunto com o Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás farão uma homenagem ao maior compositor erudito brasileiro nesta quinta-feira (05/03), a partir das 20h. O evento comemorativo ao Dia Nacional da Música Clássica vai ocorrer no auditório Maria Dilda Alves – unidade Perimetral da instituição de ensino. Para participar, basta fazer a sua inscrição em bit.ly/Dia-da-Musica-Classica e no dia do evento doar 1 kg de alimento não perecível ou 1 livro literário. As doações serão destinadas para instituições filantrópicas.

 Você sabia que dia 5 de Março comemoramos o Dia da Música Clássica? Então, essa data não foi escolhida por acaso. É que nesse dia, nasceu um dos maiores compositores da história, o brasileiro Heitor Villa-Lobos, nascido no Rio de Janeiro de 1887. Ele é a grande referência do nosso país no que tange a música no cenário mundial. Obras como “Bachianas brasileiras” e “Trenzinho Caipira” serão evidenciadas pela Banda de Música do Corpo de Bombeiros e o Coral UNIALFA, nesse dia.

O regente geral da Banda de Música do Corpo de Bombeiros de Goiás, o Major Fonseca explica que “Bachianas brasileiras” é uma série de nove composições de Heitor Villa-Lobos escrita em 1922. Nesse conjunto, escrito para diversas formações, Villa-Lobos fundiu material folclórico brasileiro (em especial a música caipira) às formas pré-clássicas no estilo de Bach, intencionando construir uma versão brasileira dos Concertos de Brandemburgo.

“São trechos famosos de Bachianas a Tocata (O Trenzinho Caipira), quarto movimento das n° 2; a Ária (Cantilena), que abre as de n° 5; o Coral (O Canto do Sertão) e a Dança (Miudinho), ambos nas n° 4”, explica sobre a apresentação que será feita para esta data comemorativa.

Heitor Villa-Lobos

Filho de Noêmia Monteiro Villa-Lobos e Raul Villa-Lobos, foi desde cedo incentivado aos estudos, pois sua mãe queria vê-lo médico. No entanto, Raul Villa-Lobos, funcionário da Biblioteca Nacional e músico amador, deu-lhe instrução musical e adaptou uma viola para que o pequeno Heitor iniciasse seus estudos de violoncelo.

Aos 12 anos, órfão de pai, Villa-Lobos passou a tocar violoncelo em teatros, cafés e bailes. Paralelamente, interessou-se pela intensa musicalidade dos “chorões”, representantes da melhor música popular do Rio de Janeiro, e, neste contexto, desenvolveu-se também no violão.

Em 1922, Villa-Lobos participou da Semana da Arte Moderna, no Teatro Municipal de São Paulo. No ano seguinte, embarcou para a Europa, deu sequência aos estudos, pesquisas e aperfeiçoamento na arte de escrever (buscando assim, referências para afinar ainda mais seu belíssimo trabalho como compositor), regressando ao Brasil em 1924.

Maestro multiinstrumentista e compositor brasileiro, Heitor Villa-Lobos deixou o maior legado erudito brasileiro na música. Sua obra foi por muito tempo incompreendida por sua pátria amada, porém o seu sucesso internacional foi notável. Suas composições são modernas e originais inspiradas em toda cultura regional e folclórica do Brasil. As músicas mais conhecidas são as Bachianas Brasileiras nº5 e nº4 e o famoso Trenzinho Caipira.

 

SERVIÇO:

 Dia Nacional da Música Clássica

Quando: 05 de março;

Horário: 20h;

Onde: auditório Maria Dilda Alves;

Local: unidade Perimetral da UNIALFA;

Endereço: Av. Perimetral Norte, nº 4.129 – Vila João Vaz;

Entrada: 1 kg de alimento não perecível ou 1 livro literário.