O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviou uma notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro por divulgar dados confidenciais de inquérito da Polícia Federal (PF) sobre um suposto ataque hacker ao sistema eleitoral em 2018. Bolsonaro falou sobre os documentos em entrevista, nesta segunda (09), como tentativa de desmoralizar as urnas eletrônicas.

Na peça enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), o TSE fala em possíveis crimes cometidos “por parte do delegado de Polícia Federal que preside as investigações, do deputado federal Filipe Barros (PSL) e do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, de informações confidenciais contidas no inquérito da Polícia Federal que investiga o ataque hacker sofrido pelo Tribunal em 2018”.

O deputado é relator da PEC do voto impresso, no qual o mandatário ameaçou que caso não seja aprovada pela Câmara dos Deputados, ele não irá considerar legítimo o resultado das eleições 2022. E participou da entrevista de Bolsonaro à Jovem Pan.

“O crime que se busca apurar é o de divulgação de segredo, tipificado no Artigo 153, parágrafo 1º-A, cominado com o parágrafo 2º do Código Penal brasileiro”, afirmou o TSE.

Leia também:

Relatório mostra desmatamento florestal no Brasil afetando mudanças climáticas