Presidente de extrema-direita isola os Estados Unidos do mundo que busca a cura do coronavírus através de programa da OMS.

Os Estados Unidos não participarão de um esforço internacional de desenvolvimento e distribuição de uma vacina contra o coronavírus pela iniciativa estar vinculada à Organização Mundial da Saúde (OMS), afirmou a Casa Branca nesta terça (1).

A decisão se dá em um contexto de mais de 6 milhões de casos de coronavírus, condição que isolará os EUA de 170 países envolvidos com a iniciativa COVAX.

Trata-se de uma iniciativa que visa providenciar acesso mundial a uma vacina efetiva.

“Os Estados Unidos continuarão a participar com nossos parceiros internacionais para garantir a derrota do vírus”, afirmou o porta-voz da Casa Branca Judd Deere.

“Contudo, não seremos constrangidos por organizações multilaterais influenciadas pelas corruptas Organização Mundial da Saúde e China”, concluiu.

A decisão sinaliza uma grande aposta na Operation Warp Speed (algo como “velocidade de dobra”), uma operação do governo federal que visa acelerar o desenvolvimento de drogas, vacinas e outras formas de enfrentamento à pandemia.

Duas vacinas estão na fase 3 nos EUA e outras duas devem entrar na fase 3 em setembro.

Em julho, a administração Trump notificou o Congresso e a ONU de que os EUA formalmente se retirariam da OMS.

Adeptos do movimento questionam a independência do órgão, reclamando do efusivo apoio da OMS à resposta que a China teve à pandemia.

Fonte: O Cafezinho.

Leia também:

Estados Unidos rompem com programa de produção mundial de vacinas