Responsável por criar uma legião de fanáticos anti-ciência, que ignora a pandemia que matou mais de 200 mil norte-americanos e 145 mil brasileiros,  presidente EUA prova do próprio veneno, e se recusa a tomar a cloraquina que “receitou” para o rebanho que o segue no twitter.

 

Marcus Vinícius de Faria Felipe

 

Donald Trump pegou covid19. Bem feito! Ele merece. Assim como o cantor ‘sertanojo’ que cantarolou “Vem nimim covid19” (e se deu mal, quase morrendo com a doença), o mandatário norte-americano contraiu o coronavírus que tanto desdenhou, tratando como uma “gripezinha”.

Sua postura irresponsável, contrária ao isolamento social, ao uso de máscaras e a visão dos cientistas de seu país e do mundo todo – que alertaram para os perigos da doença – levou à morte de mais de 200 mil cidadãos dos Estados Unidos.

Infelizmente Trump inspirou o seu colega brasileiro, Jair Bolsonaro, que por aqui fez o mesmo. Trump brigou com prefeitos e governadores que decretaram o isolamento social. Bolsonaro o seguiu à risca, e copiando o ídolo, tripudiou de cientistas, cortou verbas do Sistema Único de Saúde – e pasmem: nomeou um general que não entende patavina nenhuma de saúde para gerir a pior crise sanitária do século.

Trump merece o covid19. Como disse Geraldo Vandré na música “Arueira”:

– E o dono senhor de tudo
Sentado, mandando dar.

(…)Madeira de dar em doido
Vai descer até quebrar
É a volta do cipó de arueira
No lombo de quem mandou dar.

 

Não desejo a morte de Trump. Nem dele e nem de outros ignorantes, irresponsáveis, desumanos e insensíveis que negligenciaram a doença e ignoraram a dor das famílias que perderam seus entes queridos para a pandemia que a nação mais rica do planeta não soube controlar.

Me permito ao pensamento católico de que “Deus escreve certo por linhas tortas”, para dizer que o covid19 não vai tirar a vida de Trump mas vai mata-lo politicamente.

A única chance de Trump vencer as eleições era continuar sendo Trump:

Intolerante.

Irresponsável.

Arrogante.

Faltando 30 dias para as eleições, Trump terá que ficar em quarentena. Não vai poder fazer mais suas bravatas. Não poderá aglomerar fanáticos em igrejas, ginásios, quartéis, praças e ruas.

O “médico” Trump, que receitou cloraquina para os EUA e o mundo, se recusa a usar o “remédio milagroso” e está se submetendo aos mais modernos tratamentos para salvar a sua vida.

Cai a máscara.

Perde o discurso torpe, de ódio e intolerância.

Ficou menor. Voltou a ser mortal.

Que sua doença lhe sirva de lição.

Trump morreu. The End!

Que aprenda que não se brinca com a própria vida e com a vida alheia.

E, quem sabe aqueles que o idolatram percebam que estão seguindo o Anti-Cristo, e não o Messias.

Trump levou os EUA à Era das Trevas da Ignorância.

Que sua morte politica arraste a América do Norte e as Américas Central e do Sul à Era da Luz e da Ciência.

 

Leia também:

Com covid-19, Trump tem febre e é levado a hospital militar por precaução… – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2020/10/02/trump-inicia-tratamento-sem-cloroquina-e-esta-com-fadiga-diz-boletim.htm?cmpid=copiaecola

Trump, que sempre propagou cloroquina, não se trata com o medicamento