De ex-piloto da Fórmula 1 a motorista (ou ajudante de ordens?) de Jair Bolsonaro no 7 de Setembro, em Brasília.

do Viomundo

“É um velho canalha”, diz um jornalista que o conheceu bem de perto.

“Nos tempos de Fórmula 1, era doente de inveja de outros grandes pilotos da época, entre os quais Airton Senna e Emerson Fittipaldi”, conta.

 

Imagem de Piquet com Bolsonaro a bordo viralizou, é claro, nas redes sociais.

Num grupo de profissionais de saúde no Whatsapp, uma médica infectologista chegou a questionar: “É o Piquet, mesmo?!.

“Dizem que é”, respondeu-lhe um professor de Epidemiologia, que também no grupo.

Jornalistas de Brasília atestaram: é o próprio.

No twitter Marco Santo (@macsanto 787), zoou: “Eu já vi Piquet pilotando um carro de 400 cavalos, mas com 1 burro é a primeira vez”

 

Àquela altura, o irreverente e brincalhão Coronel Siqueira (@direitasiqueira), que já tinha visto o triste flagrante, debochou: “Tadinho do Nelson Piquet, ter que virar Uber com essa idade…

Um gaiato, que ainda não o identificamos, fez esta fotomontagem impagável em cima de anúncios da internet: