Pesquisa Grupom divulgada hoje mostra que 82,8% dos entrevistados consideram mudar o voto para um candidato que priorizasse soluções para o problema dos ônibus na Capital e 65% disseram que em um segundo nome como opção de voto para prefeito.

Marcus Vinícius de Faria Felipe

Goiânia tem uma das tarifas mais caras do país. Na cidade, cujo “novo normal” são temperaturas entre 28 e 33 graus na maioria dos dias do ano, os ônibus são sujos e não tem ar condicionado, ao passo que outras capitais e até cidades menores os usuários contam com este benefício. Nos finais de semana e feriado os atrasos costumam ser de 80 a 90 minutos. O resultado é que o povo está de saco cheio e quer propostas concretas para resolver o problema.

A pesquisa do Instituto Grupom divulgada hoje mostra o descontentamento da população goianiense com o sistema de transporte coletivo. Do total de 601 entrevistados, 47,3% declararam que utilizam ônibus e 52,7% não. Entre os usuários a nota para o sistema foi 3,3, sendo que um quarto destes (25,7%) deu nota zero.

Para testar a relação entre o humor dos usuários de ônibus e as eleições o Grupom fez a seguinte pergunta:

“De 0 a 10, qual a chance de você voar em um candidato que prioriza soluções para o transporte coletivo de Goiânia?

26,9% responderam: “Mudaria com certeza (9-10) “

29,0% disseram: “Certamente Mudaria (7-8)”

26,9% afirmaram: “Poderia Pensar em Mudar (4-6)”

17,2% concluíram que “Não Mudariam o Voto (0-3)”

 

Principais problemas de Goiânia

O Grupom também questionou os eleitores sobre em quais áreas o novo prefeito deveria preferencialmente atuar. A pergunta foi:

“Qual destes temas você gostaria que o candidato a prefeito apresentasse com mais detalhes aos eleitores”?

57,4% pediram melhoria no atendimento à saúde

21,6% apontaram os CMEI’s, exigindo educação infantil e fundamental de qualidade

11,6% querem melhoras no transporte coletivo

3,5% demonstram preocupação com o meio ambiente e a expansão urbana

3,3% cobram melhorias para o trânsito

1,3% pedem mais praças de esporte/parques/lazer

1,3% não souberam responder.

As mulheres (61,3%) são as mais preocupadas com o atendimento a saúde que os homens (52,7%). Os eleitores do sexo masculino (22%) e feminino (21,2%) estão empatados , na cobrança melhorias nos CMEIs.

 

65% não tem certeza sobre o voto para prefeito 

Na primeira rodada do Grupom, apresentada no dia 10 de outubro, o instituto perguntou a firmeza de voto do eleitor, ou seja, se tinha escolhido o seu candidato a prefeito e se pretendia manter este voto. Naquele ocasião 65,5% responderam que poderiam mudar o voto, pois nesta pesquisa, divulgada hoje, terça-feira, 20/10, o número de manteve com uma pequena oscilação: 65% responderam que tem um segundo nome para mudar o voto. A diferença da rodada anterior, é que passou de 11,7% para 14,3%  os eleitores com o voto “firme e definido com o candidato escolhido”. O número de indecisos caiu de 12,5% para 10,4% e os que podem votar branco ou anular o voto permaneceram na faixa dos 10,3%.

64% não tem candidato a vereador

Para vereador, a pesquisa do dia 03/10 mostrava 77,3% dos eleitores ainda sem candidato, contra 21,3% que haviam definido em quem votar; nesta nova pesquisa, subiu para 31,2% os eleitores que escolheram um vereador e caiu para 64% o número dos indecisos, porém o percentual continua alto. O maior número de indecisos está nas regiões Noroeste (67,6%) e Oeste (67,5%) e os menores na Centro/Sul (58,4%) e Leste (62,2%). As mulheres (66,3%) estão mais indecisas que os homens (61,4%) no voto ao vereador.

Metodologia

Tamanho da amostra: 603 entrevistas.  Característica: A amostra é representativa dos eleitores do município pesquisado. Foram selecionados probabilísticamente os bairros, setores censitários, quarteirões e domicílios através do método PPP (Probabilidade Proporcional à População), tomando como base o número de eleitores do município.

A seleção dos entrevistados nas residências, foi feita utilizando-se quotas proporcionais em função das variáveis sexo e faixa etária de acordo com o cadastro do TSE (sitio).  Confiança: 95% Margem de erro estatístico: +/- 4,1 %.  Período da coleta: 16 a 18 de Outubro de 2020.  A abordagem nesta enquete seguiu as normas que norteiam os testes desta natureza. Os questionamentos são seguidos de dados estatísticos básicos coletados e cruzamentos de informações. Realização: GRUPOM CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA
Registros da Pesquisa: Protocolo nº – GO-07142/2020 – 14/10/2020 – CNPJ: 01.096.445/0001-80