Trabalhadores de todo o país prometem cruzar os braços nesta sexta-feira, 14, em protesto à Reforma da Previdência, que está sendo discutida no Congresso Nacional e também contra os cortes na educação e por mais empregos.

As categorias mais mobilizadas são os bancários, professores, metalúrgicos, trabalhadores da Educação e da Saúde, estudantes e docentes de universidades federais e estaduais, trabalhadores da saúde, de água e esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, químicos e rurais, portuários, agricultores familiares, motoristas, cobradores, caminhoneiros, eletricitários, urbanitários, vigilantes, servidores públicos estaduais e federais, petroleiros, enfermeiros, metroviários, motoristas de ônibus, previdenciários e moradores de ocupações por todo o Brasil.

As paralisações foram convocadas pelas centrais CUT, CTB, CGTB, UGT, Nova Central, Conlutas, Força Sindical, Intersindical e Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), com apoio das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, prometem ser o ápice da luta contra os projetos do governo de Jair Bolsonaro (PSL) que retiram direitos dos trabalhadores.

 

Transporte

A tendência é que não aja transporte público em cidades como São Paulo (SP), Porto Alegre (SP), Recife (PE), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Brasília (DF). Esta situação deve levar à paralisação de milhões de trabalhadores que não aderiram à greve. Vários estabelecimentos na região central dessas capitais confirmaram que não abrirão as portas na sexta porque, ao que tudo indica, as ruas estarão vazias.

 

Combustível

As lideranças sindicais acreditam que colocam lenha na fogueira da greve o avanço do desemprego, o anúncio de cortes na Educação, a proposta da Previdência que reduz direitos dos trabalhadores e as denúncias de corrupção e graves desvios éticos do ministro da Justiça Sérgio Moro e de Deltan Dallagnol,  procurador chefe da Operação Lava Jato.

Em Goiás, o presidente da CUT, Mauro Rubem informa que além das paralisações já confirmadas por diversas categorias, atos estão programados para ocorrer ao longo do dia 14 em Goiânia e em cidades do interior. O Fórum Goiano Contra as Reformas da Previdência e Trabalhista têm realizado intensas mobilizações nas ruas, garagens de ônibus e pontos de grande circulação convocando a população para a greve.

Onde devem ocorrer manifestações:

Goiás

Cidade de Goiás – 13/6 Audiência Pública “Educação no Contexto de Crise”, 19h, no auditório da Universidade Estadual de Goiás (UEG). 14/06 Ato na Praça do João Francisco, 8h, com caminhada e panfletagem até o Mercado Municipal;
Formosa – 8h, na praça Anísio Lobo;
Goiânia – 10h, Coreto da Praça Cívica;
Silvânia – 8h, na Feira Coberta Central;
Itapuranga – 8h, Centro Cultural Cora Coralina;
Jataí – 09h – Concentração Sintego de Jataí/parceria com o sindicato do comércio (passando pela Câmara de Vereadores, Av. Rio Claro, Av. Goiás, encontro com UFG e IF na praça Tenente de Omar Meneses onde será realizada com aula pública esclarecendo sobre a Reforma da Previdência.

Acre

Mobilização com piquete no local de trabalho de algumas categorias às 7h da manhã. Depois, tem ato na Praça da Revolução, no centro de Rio Branco, às 10h, de onde sairá um cortejo em defesa da Previdência pública e solidária e da educação pública e mais empregos. À noite, no Cine Recreio tem noite cultural e show na Gameleira.

Alagoas

O ato político terá concentração às 15h na Praça do Centenário, uma das principais de Maceió. Os alagoanos e as alagoanas também vão se manifestar contra a intenção do governo Bolsonaro de privatizar o setor de saneamento básico no país, o que inclui a distribuição de água à população.

Amapá

Às 08h começa a paralisação de várias categorias e às 15 horas terá um ato “Lula Livre” na Praça da Bandeira, em Macapá.

Amazonas

Ato será às 15h, na Praça da Saudade em Manaus.

Bahia

Além da Capital, Salvador, há atos confirmados em pelo menos mais 21 cidades. Confira:

Salvador – Campo Grande, 15h

Feira de Santana – Estacionamento da Prefeitura, 7h

Vitória da Conquista – Praça Guadalajara (Escola Normal) 8h

Santo Antônio de Jesus – Praça da Biblioteca, 8h30

Cachoeira – Praça do Mercado Municipal, 9h

Camaçari – Praça Montenegro, 8h

Alagoinhas – Praça JJ Seabra, 7h

Seabra – Praça da Bandeira, 8h

Guanambi – Praça Manoel Novaes, 7h30

Caetité – Praça da Catedral, 7h30

Itabuna – Praça Adame, 6h

Ilhéus – Praça Cairu, 8h

Eunápolis – Praça do Pequi, 13h30

Porto Seguro – Trevo da Rodoviária, 8h

Teixeira de Freitas – Supermercado Faé, 10h

Brumado – Cesta do Povo, 16h30

Jequié – Praça dos Correios, 7h

Juazeiro – INSS, 8h30

São Félix – Ponto das Vans, 7h

Correntina – Museu de Correntina, 7h

Itaberaba – Praça do Coqueiro, 8h

Itapetinga – Praça dos Pioneiros, 8h30

Ceará

Em Fortaleza, além das paralisações previstas, acontecerá a Marcha Estadual da Classe Trabalhadora contra a Destruição da Previdência na Praça da Bandeira, no Centro, a partir das 10h30.

Outros municípios também se organizaram para fazer ato político.

Aquiraz – ato será na Rodoviária, às 7h30

Barreira – Praça dos Taxistas, às 8h30

Beberibe – Câmara dos Vereadores, às 8h

Caucaia – Praça da Matriz, às 8h

Crateús – Praça da Matriz, às 7h

Icó – Sede do Sindicato dos Servidores Municipais às 8h30

Iguatu – Praça da Caixa Econômica Federal às 8h

Iracema – Praça Casimiro Costa Moraes (Mangueira), às 7h

Itapipoca – Praça do Cafita, às 8h

Jaguaribara – Escola Estadual Liceu, às 7h

Limoeiro do Norte – INSS (Ao lado da Honda), às 8h

Maracanaú – Praça da Estação de Maracanaú, às 8h

Milhã – Sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, às 8h30

Nova Russas – Praça da Macavi, às 8h

Pacujá – Sede do Sindicato dos Servidores Municipais às 8h

Quixadá – Praça da Catedral às 8h

Regional Cariri – Juazeiro do Norte será no CREDE (Rua São Pedro com Rua Rui Barbosa), às 8h

Russas – Secretaria da Saúde às 7h30

Sobral – Praça de Cuba às 8h

Tauá – Local a confirmar

Distrito Federal

No Plano Piloto não vai ter transporte. Os cerca de 12 mil rodoviários, condutores e cobradores aprovaram em assembleia na sexta-feira (7) cruzarão os braços por 24 horas.

Não vai ter ato político organizado pela CUT, mas os sindicatos filiados estão organizando aulas públicas, assembleias, piquetes, panfletagens e muito diálogo com a população sobre reforma da Previdência, corte na educação, desemprego, acesso a terra e sobre as privatizações.

Espírito Santo

Sindicalistas e representantes das frentes estão fazendo reuniões para decidir local do ato.

Mato Grosso

A concentração do protesto será na Praça Ipiranga, em Cuiabá, às 14 horas.

Mato Grosso do Sul

Em Campo Grande com concentração às 09 horas na Praça do Rádio Clube

Minas Gerais

O ato unificado da CUT e demais centrais e sindicatos será às 11h, com concentração na Praça Afonso Arinos, em Belo Horizonte.

No Vale do Aço, a concentração será na Praça Domingos Silvério, conhecida como Praça dos Aposentados às 14h. Em seguida terá caminhada pelas avenidas Getúlio Vargas e Wilson Alvarenga seguido com um ato político em frente ao INSS.

Pará

Em Belém, o ato será às 10 horas na Praça da República.

Paraná

Na capital Curitiba, serão dois pontos de concentração para atos públicos de rua no centro: às 11h, em frente ao Centro Cívico; e às 14h, na Praça Santos Andrade. O encerramento das atividades será na Boca Maldita.

Ao amanhecer, cada sindicato de representação de trabalhadores irá atuar na mobilização das bases nos locais de trabalho: bancários nas agências centrais e centros administrativos nos bairros; metalúrgicos nas portas das empresas; petroleiros em frente à Repar; servidores públicos estaduais reunidos no centro. Uma carreata será realizada na região da CIC, num trajeto entre as empresas metalúrgicas.

Os movimentos populares estudantis, sociais do campo e da cidade e ativistas dos partidos políticos de esquerda também se comprometeram em atuar pela viabilidade das mobilizações junto aos trabalhadores.

No interior do Paraná, os grandes sindicatos vão mobilizar suas bases, com ações programadas nas cidades de Londrina, Maringá, Toledo, Cascavel, Umuarama, Francisco Beltrão, Pato Branco. O MST também vai mobilizar em dez cidades-polo e em municípios pequenos.

Paraíba

O ato será em João Pessoa, na Lagoa, a partir das 15h.

Pernambuco

O ato será no cruzamento da Rua do Sol com Rua Guararapes, no Centro do Recife, às 14 horas.

Piauí

O ato político na capital Teresina está marcado para às 8h, na Praça Rio Branco.

Rio de Janeiro

Ato a partir das às 15 horas na Candelária e caminhada para a Central do Brasil.

Vários municípios ainda estão se organizando para fazer atos descentralizados. Matéria será atualizada.

Rio Grande do Norte

Em Natal, o ato político será na calçada do Midway às 15 horas e termina com um show político cultural na praça de Mirassol.

Açu – Concentração 7h30 ao lado do INSS

Caicó – Ato público às 7h30 na Praça da Alimentação, no centro.

Mossoró – Assembleia unificada na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública do RN (Sinte/RN), às 7 horas.

Outros municípios também prometem atos, como em Caraúbas, Angicos, Pau dos Ferros, Apodi, Canguaretama, São Paulo do Potengi.

Rio Grande do Sul

A concentração do ato político será às 17h, seguida de ato, às 18h, na Esquina Democrática, no centro de Porto Alegre.

Rondônia

O ato político será a partir das 08h, na Praça das 3 Caixas d’Água

Roraima

Em Roraima tem programação de atividades.

O ato da capital será às 15h, com passeata até a Praça do Centro Cívico

Em Roraima tem uma série de atividades já marcadas:

6h– Café da manhã coletivo – Universidade Federal de Roraima (UFRR)

7h30 – Ato na frente do Ibama

13h30– Concentração no Portão da UFRR (Entrada da Av. Ene Garcez).

16h– Ato “Contra a Reforma da Previdência”, na Praça do Centro Cívico.

18h às 22h – Show musical e Cultural “Nenhum Direito à Menos” na praça do centro cívico.

Santa Catarina

Ato em Joinvile será a partir das 9h, na Praça da Bandeira.

Em Caçador, será às 14h, na Praça Nossa Senhora Aparecida

Em Criciúma, às 14h, no calçadão.

Em Blumenau, às 10h, na Praça do Teatro Carlos Gomes.

Em Chapecó, ato será Coronel Bertaso.

São Paulo

O ato político será na Avenida Paulista, no vão livre do Masp, a partir das 16 horas. Uma caminhada até a Praça da República está para ser confirmada.

Sergipe

Em Aracaju, vários protestos serão realizados desde a madrugada e também no turno da manhã. À tarde, a partir das 15h, na Praça General Valadão.

Tocantins

Em Palmas, a partir das 8h, na Avenida JK, próximo ao Colégio São Francisco.