Fernando Brito, no Blog Tijolaço, acompanha de perto a eleição dos EUA e mostra a picaretagem e falso-moralismo do inqyilino da Casa Branca.

Não se sabe, ainda, se terá sido um golpe mortal em sua campanha pela reeleição, porque lá nos Estados Unidos, como por aqui, racionalidade anda em falta. Mas a revelação do The New Yor Times de que Donald Trump pagou, em 2016 e 2017 – já na presidência dos EUA – a irrisória quantia de US$ 750 dólares (R$ 4.125) de imposto de renda anuais, não pagou nada durante 10 dos 15 anos analisados e ainda recebeu uma restituição de impostos de US $ 72,9 milhões (R$ 400 milhões) que é objeto de uma auditoria da Receita Federal norte-americana.
O salário anual presidencial é de US$ 400 mil, ou R$ 2,2 milhões, fora a ajuda de custo não tributável de US$ 50 mil, isenta de impostos. No Brasil, o valor de imposto pago por Trump em cada um de seus dois primeiros anos de Casa Branca equivaleria ao que paga um empregado com salário de R$ 5 mil mensais. .


A “mágica” de Trump era apresentar perdas milionárias e descontos pouco usuais em suas declarações – como, por exemplo, gasto de US$ 70 mil (R$ 385 mil) com cabelereiros para suas apresentações na televisão, no programa “O Aprendiz”, sua maior fonte de renda até alguns anos atrás, logo substituída por uma série de aquisições de hotéis e campos de golfe, nos Estados Unidos e no exterior.Segundo o The Washington Post, “as divulgações financeiras do presidente indicaram que ele ganhou pelo menos US $ 434,9 milhões em 2018, mas os registros fiscais relataram um prejuízo de US $ 47,4 milhões”.
Trump havia se recusado sempre a abrir ao público suas declarações de renda, ao contrário do que faziam, desde os anos 70, todos os presidentes norte americanos. Segundo o jornal, sua
Barack Obama e sua mulher, Michelle, por exemplo, publicaram pagamentos de US$ $1,8 milhão em imposto de renda em 2009, no primeiro ano que passaram a ocupar a Casa Branca, 2.400 vezes mais que Donald Trump. O vice de Obama e adversário de Trump nas eleições de 3 de novembro, pagou US$ 71.147 (R$ 391 mil) em impostos de renda federa e mais US$ 12,420 de impostos de renda no estado de Delaware e outros US$ 1,477 no estado da Virgínia.
O advogado das empresas Trump, Alan Garten, disse que os relatórios do NYT são incorretos que que o presidente pagou “milhões em impostos pessoais”, sem especificar quais e porquê. O jornal diz que Com o termo “impostos pessoais”,”Garten parece estar combinando impostos de renda com outros impostos federais que Trump pagou – Previdência Social, Medicare e impostos para seus empregados domésticos. Garten também afirmou que parte do que o presidente devia foi pago com créditos fiscais”, ou seja, com incentivos fiscais obtidos por investimentos dedutíveis.
Um século depois, o Imposto de Renda norte-americano pode estar prestando ao país um benefício tão grande quanto o fez com a derrocada do império de Al Capone.

Leia também: 

O final de semana foi marcado pelas baixarias no Leblon, no Rio, e no restaurante Gero, nos Jardins de São Paulo.