Fórum, que discute o genocídio de populações negras, pobres e faveladas terminará em Brasília com ato de protesto e encontro com autoridades.

Renato Dias

O 4° Encontro da Rede Nacional de Mães e Familiares de Vítimas do Terrorismo do Estado será aberto, em Goiânia, hoje, 18 de maio, e se encerra, dia 21. O Fórum Nacional é organizado pelo Instituto Me­mória e Resistência e pelo grupo Mães de Maio do Cerrado – Do Luto à Luta.

A progra­ma­ção ocorrerá em três cidades: Hidrolândia, Goiânia e Brasília, a Capital da República dos Escândalos. Sob a supervisão do Instituto Memória e Resistência, diz Eronilde Nascimento.

 “A política de terrorismo de Estado inviabiliza a vida de nossas famílias, negras e pobres. Uma das vítimas fatais da desocupação do Parque Oeste era Pedro Nascimento, meu marido”, desabafa Eronilde.

A organização aguarda a participação de 70 mães e familiares das cinco regiões do Brasil.  Inte­grantes de movimentos que lutam contra o genocídio das populações negras, pobres e fave­ladas. Como a Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência e a Campanha Ca­vei­rão, não!,  do Rio de Janeiro. As Mães de Maio, de São Paulo. Além de mães da Bahia, do Xin­gu, de Belo Horizonte (MG), de Manaus (AM) e do Espírito Santo, da Colômbia e até dos Estados Unidos.

Goiás será representado pelo grupo Mães de Maio do Cerrado.

Do Luto à Luta

O núcleo congrega familiares dos 10 adolescentes mortos no Centro de Internação Provisória (CIP), em 25 de maio de 2018, além de mães de encarcerados e de vítimas de criminalização dos movimentos sociais. Um ano depois da tragédia do CIP, as famílias convivem com a dor da perda, da falta de respostas e de responsabilização dos culpados, relata a organizadora.

Programação

Nos dois primeiros dias, hoje e amanhã, o encontro nacional terá pautas internas. Em Hidrolândia. Já no dia 19, Grupos de Trabalho (GT’s) realizarão debates. No dia 20 de maio, na próxima segunda-feira, autoridades locais se reúnem em uma mesa de debates, às 9h, no Auditório Jaime Câmara, da Câmara de Vereadores de Goiânia. Sob o lema: ‘Resistência à violência de Estado: institucionalidade e participação popular’. A entrada é aberta ao público.

Um ato público ocorrerá, no mesmo diaa partir das 14h. Com concentração na Praça do Trabalhador. Em seguida, os participantes saem em direção à Praça Cívica. O encerramento será no dia 21 de maio, com a ida de mães, familiares e participantes à Brasília. Para ato e agenda com autoridades. Maio é considerado o mês de luta. Para mães e familiares que tiveram seus filhos assassinados pelas polícias ou que sofrem formas de violência estatal.

Serviço:

Eronilde Nascimento é a organizadora do fórum

O que:  4° Encontro da Rede Nacional de Mães e Familiares de Vítimas do Terrorismo do Estado

Quando: De 18 a 21 de maio

Onde: Hidrolândia (18 e 19), Goiânia (20) e Brasília (21)

Contato: Instituto Memória e Resistência – Eronilde Nascimento [62-9-9248-9200]

Assessoria de Imprensa: Diene Batista – [62-9-9374-1647]