Iniciativa da empresa que administra a UHE São Simão  beneficia mais de 9 mil jovens da rede pública de ensino de Goiás, conta com cursos e oficinas de leitura e audiovisual; objetivo é despertar a criatividade dos jovens em sintonia com tendências de inovação e tecnologia no setor cultural.

Estudantes da rede pública de ensino da região sudoeste de Goiás terão a oportunidade de participar de várias atividades culturais do Projeto Ilha da Imaginação. A iniciativa contempla cursos e oficinas itinerantes gratuitas de leitura e audiovisual para jovens de oito a 17 anos de idade. As aulas das novas turmas começaram em março de forma online até que seja possível a retomada gradativa dos jovens ao Espaço Ilha – sede dos cursos de formação, avançado e 3D, na cidade de São Simão – e às instituições de ensino, onde ocorrem as oficinas itinerantes.

Em sua terceira edição, o Ilha da Imaginação já beneficiou mais de 20 mil alunos de São Simão, Quirinópolis, Inaciolândia e Paranaiguara, em Goiás, além de Ituiutaba, em Minas Gerais.

“Este projeto é muito importante para a região e contribui para que milhares de jovens tenham oportunidades de aprender algo novo por meio da cultura. Isso pode abrir portas a esses jovens no futuro”, diz o diretor de Comunicação da SPIC Brasil, Roberto Monteiro. Para ele, a cultura é um agente transformador na sociedade que, junto com a educação, permite o desenvolvimento intelectual do cidadão.

A SPIC Brasil, empresa que opera a Usina Hidrelétrica São Simão, na divisa dos estados de Goiás e Minas Gerais, é patrocinadora dessa ação cultural. Aprovado pelo Ministério do Turismo por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, o Projeto Ilha da Imaginação é realizado pelo Instituto Maker, Aktuellmix, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Juliana Pileggi, diretora do Instituto Maker, idealizador do projeto, explica que o objetivo da ação é despertar a criatividade dos jovens em sintonia com as tendências de inovação e tecnologia no setor cultural. Um dos exemplos é a área de produção de conteúdo digital, que está em expansão e exige cada vez mais criatividade daqueles que querem se desenvolver neste segmento. “Por meio da cultura, queremos estimular a criatividade dos jovens utilizando ferramentas lúdicas”, diz.

O projeto dispõe de infraestrutura adequada e profissionais capacitados para que os alunos aprendam diversos conceitos de animação durante as aulas. Em 2021, serão oferecidos cursos audiovisuais de formação, avançado e 3D de leitura e audiovisual e oficinas itinerantes de leitura e stop motion pixilation. “São aulas divertidas e que proporcionam momentos criativos e instigam o interesse pela cultura”, diz Juliana.

Aulas 

As atividades de 2021 tiveram início no dia 15 de março e foram realizadas de forma online até o final do mês e, a partir do dia 5 de abril, as aulas do Espaço Ilha retomaram o modelo presencial. A iniciativa segue sempre as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e das Secretarias de Educação e de Saúde de Goiás. “É fundamental que todos tenham um aprendizado seguro”, afirma o diretor de Comunicação da SPIC Brasil. Para outras informações sobre o programa, acesse: https://ilhadaimaginacao.com.br/.

Ilha da Imaginação

Neste ano, a novidade é o curso de criação 3D para alunos que concluíram o módulo avançado ou tenham conhecimento prévio em animação. O objetivo é dar continuidade à especialização desses jovens. “Queremos que eles aprendam cada vez mais e a partir daí possam transformar a sua trajetória”, comenta o executivo da SPIC Brasil, Roberto Monteiro.

Os cursos duram nove meses e os participantes recebem uniforme, transporte, material pedagógico e lanche gratuitos. Ao todo 120 alunos da rede pública de ensino participam dos cursos. Na última edição, em 2020, os alunos das turmas de formação e avançado produziram duas animações de oito episódios cada, totalizando 16 filmes. Os resultados foram as séries “Tatá e a Turma do Cerrado” e “100Medos”. Os curtas estão disponíveis no canal do projeto no Youtube. Clique aqui e assista.

Sobre a SPIC Brasil

A SPIC Brasil é subsidiária da State Power Investment Corporation of China (SPIC), uma empresa global de geração de energia e projetos relacionados. No Brasil, isso se traduz pela união entre a experiência e a potência financeira de um grande grupo chinês e o pioneirismo australiano de mais de 20 anos de experiência em energia renovável. Atualmente, a SPIC Brasil opera a Usina Hidrelétrica São Simão, na divisa entre os estados de Minas Gerais e Goiás, dois parques eólicos na Paraíba e tem participação no maior complexo de gás natural da América Latina, o complexo GNA, no Rio de Janeiro. Emprega mais de 200 funcionários alocados em São Paulo (SP), Natal (RN), São Simão (GO) e Mataraca (PB). A chinesa SPIC possui ativos totais de US$ 174.4 bilhões capacidade instalada total de mais de 151 GW. Conta com mais de 130 mil colaboradores nos 64 países em que está presente.

Com informações da assessoria de comunicação da SPIC Brasil