Ação da Primeira-Dama Mayara Mendanha  junto a empresas e entidades proporciona doações de cestas básicas de alimentos e kits de higiene para população mais necessitada.

 

A frente da campanha “Aparecida Unida Pela Vida”,  a Secretária de Assistência Social Mayara Mendanha,  tem sensibilizado empresas e entidades no município para suprir as necessidades de famílias em situação de vulnerabilidade nestes dias de desemprego e coronavirus.

A primeira-dama do municipio se esforça junto com a equipe da Ação Socisl para arrecadar o máximo de alimentos possíveis e destinar às famílias.

Mayara Mendanha informa que a campanha,  foi iniciada dia 1º de abril e já atendeu nos primeiros 15 dias, mais de 3,5 mil famílias.

Ela esclarece que os critérios para receber a cesta básica com alimentos não perecíveis são: famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família, trabalhador informal ou autônomo, famílias com renda per capita até meio salário mínimo, desempregados e famílias inseridas no Cadastro Único.

Telefone para pedir doações 

Para a família conseguir este benefício é necessário ligar para os telefones 3545-1138 / 3545-5970 / 3545-5986 ou mandar mensagem para o WhatsApp 99292-5407.

Desde o dia que foram iniciados os trabalhos de cadastramento das famílias para o recebimento das cestas, a secretaria recebeu, diariamente, cerca de 10 mil solicitações, o que causa até mesmo o congestionamento das linhas telefônicas e também do WhatsApp.

Empresas e entidades doaram

A secretária ressalta que os atendimentos são feitos conforme a demanda, com os alimentos do estoque e principalmente com doações de nossos parceiros.

A secretária explica que o processo de doação e recebimento de cestas básicas segue todos os trâmites legais e a campanha de arrecadação segue em andamento. Foi aberto um canal para aquelas pessoas, principalmente empresários, que tiverem condições, possam doar alimentos e produtos de higiene pessoal, para serem distribuídos para moradores de rua e população carente.

“Ao todo 14 empresas e entidades se uniram nessa corrente do bem e fizeram suas doações, são elas: Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG), GSA Alimentos, Arroz Cristal, Jorge Costa (JC), Mahmic Operadora Logística, Dalastra, Ortomix, Gabitec Indústria e Comércio Artefatos de Metais Ltda, Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal no Estado de Goiás (SINJUFE-GO), Cicopol Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios, Cartório Oliveira, Amorix Alimentos, Kipão do Cerrado, Della Panificadora e Buriti Shopping. Essas doações, somadas às dos moradores de Aparecida, têm sido essenciais para alcançarmos nossa meta”, comentou.

Os interessados em contribuir podem fazer as doações diretamente na Secretaria de Assistência Social (Avenida B, APM, Setor Araguaia). Outra opção é por meio de ligação pelo telefone 3545-5975 ou Whatsapp (62)99292-5407.

“Estamos juntos por um bem maior que é ajudar ao próximo que tanto precisa neste momento”, pontuou a secretaria.

Como é feita a doação

A sede da Secretaria de Assistência Social concentrou todos os trabalhos na unidade, o local se tornou uma espécie de “Central de Doações”. Com a grande demanda de famílias em situação de vulnerabilidade, devido a pandemia do novo coronavírus, a Secretaria precisou tomar medidas emergenciais e ações mais funcionais possíveis para atender todos que precisam. Para isso foi montado um passo a passo, e distribuídas novas funções a todos os servidores ligados a pasta para realizar o processo de doação, desde a arrecadação até a distribuição dos alimentos nas casas das pessoas.

Como  funciona o processo de doações:

1º – Foi colocado alguns canais (WhatsApp, e-mail e telefone) para que as famílias façam suas solicitações da cesta básica. Para isso, foi criada uma “Central de Atendimento”, com seis pessoas que atendem as ligações e respondem as mensagens. Nessa parte é feito a coleta de dados como nome completo, telefone e endereço para contato;

2º – Outra equipe composta por duas pessoas recebem as anotações com todos os dados e digitalizam em um sistema criado provisoriamente para informatizar o processo;

3º – Os funcionários fazem a filtragem das famílias, estipuladas de acordo com a meta diária de 400 cestas, dividindo por abrangência dos CRAS, para que toda cidade seja atendida;

4º – Em seguida, o gabinete separa as equipes que irão fazer as visitas; Cada equipe é composta por um técnico (assistente social ou psicólogo), um auxiliar e um motorista. Eles saem devidamente equipados com materiais de proteção, como máscara, álcool em gel e uniforme. Durante a visita, é verificado se a família atende aos critérios para receber a doação, se constatado que sim, os alimentos são entregues imediatamente;

5º – Após a visita e entrega é feita a conferência e baixa no sistema.

Outras medidas – Além da arrecadação de alimentos e distribuição de cestas básicas, a secretaria de Assistência Social tomou outras medidas como a entrega de kits de higiene contendo sabonete líquido e álcool em gel para pessoas em situação de rua; outra ponto de apoio aos moradores de rua é o Centro Pop, que serve uma refeição diária e funciona como ponto de apoio para as pessoas tomarem banho e lavarem suas roupas.

A secretaria reabriu desde o dia 31 de março, o Restaurante Popular, no Jardim Tropical, para a retirada de marmitas, para não aglomerar pessoas no salão e evitar, assim, o risco de contágio da Covid-19.

O ticket continua no valor simbólico de R$ 2. A unidade seguirá oferecendo 1 mil refeições diárias e funciona das 11h às 14h para a retirada da alimentação de segunda a sexta-feira.