Bairros de classe média aderem ao “Janelaço” contra o presidente Jair Bolsonaro.

Um panelaço tomou conta de bairros tradicionais da classe média em Goiânia. Marcado para as 20h30 o “Janelaço” mobilizou dezenas moradores no setores Bueno e Bela Vista, região nobre da Capital.

Além de batidas de panela, as vuvuzelas e buzinas foram amplamente ouvidas, juntamente com os gritos “Fora Bolsonaro”.

Mas houve também “resistência” de uns poucos bolsonaristas que gritaram “o PT já era, “vtn” comunistas”.

Durante o  processo de impeachmente da presidenta Dilma Roussef (PT) estes bairros lideram os panelaços em Goiânia, cidade onde Bolsonaro obteve 63,45% dos votos no primeiro turno e 74,20% no segundo turno.

A popularidade do presidente está em queda com o fracasso na economia: o PIB de 1% e o dólar a R $ 5,00.

Mas a gota d’água foi a irresponsabilidade de Bolsonaro no combate ao coronavirus, pandemia que já fez 2.500 mortes na Itália e foi chsmada de “histeria da mídia” pelo presidente. A exposição de Bolsonaro no último domingo – quando deixou o isolamento e confraternizou com os manifestantes que pediam o fechamento do Congresso Nacional e do STF, queimou pontes com a classe média e com as lideranças  político e empresariais.

Um pedido de impeachment já foi protocolado na Câmara Federal tendo por base, edntre outros crimes o do presidente de ignorar lei federal (Artigo 268 do Código Penal) e atuar de modo temerário, criando facilidades para a expansão do coronavírus.

O flerte do presidente com os milicianos que impuseram a greve de PMs no Ceará, reconhecendo a suposta legitimidade do movimento, também é crime e enfraqueceu a imagem de Bolsonaro junto a opinião pública.