A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) pede que as empresas públicas e privadas avaliem a possibilidade de liberarem os funcionários administrativos para trabalharem de casa.

A medida é mais uma ação para evitar a disseminação do coronavírus. A solicitação está no mesmo documento que suspende aulas pelos próximos 15 dias, pelo mesmo motivo.

O órgão informou que há quatro casos confirmados em Goiás, 85 suspeitos e nenhuma morte. Os testes positivos para o coronavírus são de três pessoas em Goiânia e uma em Rio Verde, no sudoeste goiano.

Conforme a nota técnica emitida no domingo (15) pela SES, solicita que seja feira “avaliação imediata da possibilidade de realização de teletrabalho em todas as áreas com perfil administrativo, resguardando atendimento ao cidadão”.

Os órgãos públicos já receberam a recomendação de, se possível, diminuir o efetivo e trabalhar em revezamentos, ou de casa. A Defensoria Pública e o Ministério Público de Goiás passam a atender apenas casos urgentes.

Shoppings e comércios já informaram que estão oferecendo álcool em gel e orientações sobre higienização.

Prevenção

O governo de Goiás, a Prefeitura de Goiânia e de outras cidades do estado já estão se mobilizando para evitar aglomerações, melhorar a higienização das mãos e a etiqueta respiratória.

As escolas públicas e privadas devem ter aulas suspensas pelos próximos 15 dias. A medida pode ser prorrogada após o fim do período. A Universidade Federal de Goiás (UFG) suspendeu as cerimônias de colação de grau.

O transporte coletivo está recebendo uma higienização reforçada para também evitar a transmissão do vírus.

As visitas ao Parque Mutirama e Zoológioco foram suspensas pela Prefeitura de Goiânia. O mesmo foi recomendado para shows, atrações culturais e eventos religiosos.

Fonte: SES e G1