Um dos mais influentes nomes da oposição a Bolsonaro no Congresso Nacional cerra fileiras com o PT para enfrentar os candidatos da direita nas duas cidades capixabas. “O interesse público exige diálogo e construção”, aponta o parlamentar da Rede Sustentabilidade. Petistas continuam a costurar apoios para derrotar os nomes bolsonaristas do Palácio do Planalto no estado.

PT obteve ontem um apoio importante na disputa que trava com o bolsonarismo no Espírito Santo. O senador Fabiano Contarato (Rede-ES), um dos mais aguerridos parlamentares da oposição ao governo de Jair Bolsonaro, anunciou que está neste segundo turno apoiando os petistas João Coser e Célia Tavares, que disputam o segundo turno em Vitória e Cariacica, dois dos mais importantes municípios do estado.

“Bolsonaro nos deu a lição de que os graves e complexos desafios do Brasil não serão resolvidos à base da demagogia, do ódio ou com bravatas”, disse Contarato nas redes sociais. “O interesse público exige diálogo, construção, e não promessas vãs. No segundo turno, em Vitória, vou de João Coser”, anunciou.

Sobre Célia Tavares, o parlamentar da Rede também foi taxativo ao expressar sua preferência. “A melhor ‘ arma’ para enfrentar a violência e a desigualdade é a educação”, declarou. “Registro meu apoio à Professora Célia [Tavares], que, com sua competência, sensibilidade e empatia pelo povo, certamente trará dias melhores para os cariaciquenses”.

Divulgação

Professora Célia Tavares: Nas ruas em busca de votos para derrotar o candidato do DEM à Prefeitura de Cariacica

As manifestações de Contarato de apoio aos dois candidatos são fundamentais para impedir que nomes da extrema direita se consagrem nas urnas. Ex-corregedor-geral do Espirito Santo, Contarato estreou na política nacional em 2018, quando conquistou o mandato de senador e ganhou o respeito dos congressistas ao longo do ano passado, batendo de frente contra Bolsonaro e Sérgio Moro e impondo-se como um defensor intransigente dos direitos dos trabalhadores e na luta contra a desigualdade. Seu apoio é mais um sinal de que a frente progressista no Espírito Santo está se articulando para impedir a eleição dos bolsonaristas que disputam na capital e em Cariacica.

A direita raivosa

Em Vitória, a expressão da direita xucra do Espírito Santo é o candidato a prefeito Lorenzo Pazolini, deputado estadual que ganhou notoriedade nacional este ano ao invadir um hospital público para “provar a farsa do Covid-19”, atendendo a pedidos do presidente Jair Bolsonaro. Delegado de polícia, é um dos candidatos mais perigosos da extrema-direita atuando nas eleições municipais, ao lado de Capitão Wagner, candidato dos Republicanos à Prefeitura de Fortaleza, no Ceará.

A frente montada por Coser já tem o apoio do PC do B e do PSOL, além de conversas com o PSB e o Cidadania. Ele já conversou com o governador Renato Casagrande. Seu grande desafio é converter votos do outro candidato que obteve expressiva votação no domingo – o deputado estadual Fabrício Gandini (Cidadania) – para derrotar o bolsonarismo na capital. No primeiro turno, o ex-prefeito de Vitória João Coser ficou em segundo lugar, com 21,82% dos votos do eleitorado, somando 37.373 votos. Enquanto isso, o candidato da direita somou 53.014 votos, o que representa 30,95% do eleitorado da capital. Gandini teve 36.172 votos (21,12%).

Divulgação

João Coser: Candidatura do ex-prefeito do PT vem angariando apoios importantes de outras legendas do campo progressista

Em Cariacica, o candidato conservador que o PT enfrenta nas urnas no próximo domingo é Euclério Sampaio, deputado do DEM, delegado da Polícia Civil aposentado que se elegeu para a Assembleia Legislativa ainda em 2002, e passou por várias legendas. Foi eleito em 2018 pela Democracia Cristã, mas mudou de legenda no ano passado e se filiou ao Democratas. Sampaio se arvora em dizer que tem ligação direta com o Palácio do Planalto e se mostra orgulhoso em pertencer à “base bolsonarista”.

O segundo turno, contudo, está em aberto. Na eleição de 15 de novembro, Sampaio teve 30.934 votos (18,81%) e Célia conquistou 23.087 votos (14,04%). O desafio da petista agora é assegurar que as pessoas saiam de casa em 29 de novembro para votar contra o bolsonarismo. É que a abstenção em Cariacica foi recorde. Cerca de 67,6 mil eleitores não compareceram às urnas e mais de 30 mil votaram em branco ou nulo.

Da Redação