Texto e fotos:   Edson Osvaldo Melo

O mês de junho costuma mesclar noites com muito frio ou com temperaturas amenas na madrugada paulistana. A chuva também aparece, para complicar a vida dos sem-teto. Na falta de um lugar seguro e confortável para dormir, resta a improvisação.

Para os sem-teto mais jovens, a calçada é a solução. Já para os mais velhos, o banco de um terminal rodoviário, por mais desconfortável que seja, é a saída. E assim passam a madrugada, com temperaturas mínimas que podem atingir até 9 graus C, como no domingo, dia 9 de junho último.

Na avenida Paulista, próximo ao Masp, quem tem barraca monta acampamento na calçada do Parque Trianon. Quem não tem, improvisa uma cama com papelão e cobertor.

 

No Terminal Rodoviário Tietê, o principal da cidade, com bancos não apropriados para quem deseja deitar, o que resta é a tentativa de dormir sentado durante o tempo que o corpo aguentar sem dor, causada pelo desconforto:

fim