De acordo com o Sputinik News, a Rússia foi um dos primeiros países do mundo a aprovar remédio para uso no tratamento da COVID-19.

A embaixada russa na Guatemala, juntamente com o Fundo de Investimento Direto da Rússia, vai realizar uma apresentação do medicamento Avifavir contra a COVID-19 à América Latina e ao Caribe no dia 10 de julho.

“Para desenvolver a questão da luta contra o coronavírus, a embaixada, juntamente com as [empresas] Kromis, KhimRar e RDIF, que lançaram o medicamento Avifavir contra o coronavírus no mercado russo, está preparando sua apresentação para a América Latina e o Caribe. Representantes de todos os parlamentos supranacionais da região, agências especializadas e comitês estão convidados a participar da conferência”, afirmou a embaixada.

Anteriormente, o Ministério da Indústria e Comércio da Rússia recebeu pedidos de fornecimento do Avifavir dos países-membros da Comunidade dos Estados Independentes, de vários países da América Latina, da Europa e do Sudeste Asiático.

O Avifavir, primeiro medicamento russo contra a COVID-19, foi aprovado pelo Ministério da Saúde do país em maio. Ele provou ser 90% eficaz no tratamento do coronavírus durante os testes.

Resultados do estudo com Avifavir (favipiravir):

– De acordo com os resultados dos 10 dias dos ensaios clínicos, o Avifavir demonstrou segurança sem nenhum efeito colateral novo ou não relatado anteriormente;

– A eliminação mediana do coronavírus levou quatro dias em comparação com nove dias com a terapia padrão;

– A eficácia do medicamento está acima de 80%, um critério para um medicamento com alta atividade antiviral;

– Após os primeiros quatro dias de tratamento, 65% dos 40 pacientes que tomaram Avifavir apresentaram resultado negativo para coronavírus, que é o dobro do que no grupo de terapia padrão. No dia 10, o número de pacientes cujos testes retornaram resultados negativos atingiu 90%;

– A temperatura corporal de 68% dos pacientes que tomaram Avifavir retornou ao normal mais cedo (no terceiro dia) do que no grupo controle (no sexto dia);

– A droga está sendo testada em Moscou, São Petersburgo, Tver, Níjni Novgorod, Smolensk, Ryazan, Kazan, Ufa e na República do Daguestão.

Mecanismo de Ação do Favipiravir

O favipiravir promove a inibição seletiva da RNA polimerase dependente de RNA viral. Ele também induz mutações letais na transversão do RNA, produzindo um fenótipo viral não viável.

Com informações do Sputnik News e do site Pfarma