De acordo com o site Sputinik News, o diretor-geral do Fundo de Investimento Direto da Rússia (RFPI, na sigla em russo), Kirill Dmitriev, informou que a Rússia examina a possibilidade de produção de vacina contra o novo coronavírus no Brasil,  com o governo do Paraná em parceria com a Fiocruz e o Tecpar.

A Rússia está em negociações com o Brasil e a Índia para produzir uma vacina russa em larga escala contra o coronavírus, informou Dmitriev ao canal Rossiya 24.

“Sim, é claro, é exatamente por isso que estamos trabalhando com os principais fabricantes, inclusive no Brasil, inclusive na Índia, para produzir esta vacina em volumes muito grandes”, declarou.

O  estado do Paraná considera fazer uma parceria com a Rússia na produção da vacina. No final do mês de junho (24), houve reunião entre, em Brasília, entre o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov, visando uma cooperação técnica com a Rússia, colocando à disposição a estrutura e técnicos do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar).

O Tecpar atua em parceria com a Fiocruz e o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP) na produção de testes moleculares para diagnóstico da COVID-19.

“Tivemos a aprovação do embaixador e agora os protocolos do acordo serão preparados pelas equipes do Paraná e da Rússia. Em seguida, será designada uma reunião dele com o governador Carlos Massa Ratinho Júnior para a finalização dessa parceria, que pode incluir, ainda, a produção de medicamentos para a doença”, informou Silva.

A parceria com a Rússia poderá se tornar a porta de entrada da vacina no Brasil, que já participa dos testes de imunização com os medicamentos produzidos pela Universidade de Oxford, do Reino Unido, e pela China.

O chefe do RFPI, afirma que o registro da primeira vacina contra o coronavírus, não apenas na Rússia, mas também no mundo (criada no Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei), é esperado dentro de dez dias. Se isso acontecer, a Rússia ultrapassará todos os países, incluindo os Estados Unidos, disse ele.

Ele também afirmou que até o final de 2020 a produção de doses da vacina pode chegar a dez milhões por mês no país eslavo.

A Rússia já fechou contratos com o Brasil e outros seis países (Colômbia, Bolívia, Peru, Chile, Guatemala e México)  para fornecimento do Avifavir, medicamento comprovadamente eficaz no tratamento de pacientes com o covid19.

 

Fonte: Sputinik News