Governador do PT fez desabafo em entrevista ao programa Papo Correria, onde chamou de canalhas os milicianos do “gabinete do ódio”, criticou a indiferença do presidente, disse que o país está sem um líder e avisou que não vai se abater com a desumanidade fascista e vai cuidar das pessoas e combater as calúnias e as falsas notícias.

O governador da Bahia, Rui Cotga (PT) rebateu as ameaças que está recebendo em suas redes sociais, em decorrência do seu posicionamento em favor do isolamento social contra o coronavírus.

Em entrevista ao programa Papo Correria, no Youtube, Costa desabafou:

“Vocês canalhas, milicianos podem até me deixar triste alguns dias, mas não vão me abater da minha obstinação, da minha determinação de cuidar de gente, de cuidar das pessoas. Posso não conseguir os objetivos aos quais me pretendo, mas nunca vocês vão me ouvir dizer falando “E daí” ao tratar de mortes. Nunca me verão passear de jet-ski no dia em que milhares de pessoas estão morrendo. Isto vocês não verão”, afirmou.

Costa é um dos líderes do Consórcio Nordeste, formado pelos nove governadores da região que adotaram o isolamento social como medida para prevenção ao coronavírus. Seu posicionamento e o de outros governadores, como Camilo Santana (PT-CE) e Flávio Dino (PC do B-MA) enfrentam oposição de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que defendem a liberação das atividades econômicas.

Na Bahia e no Ceará há outro agravante: os Estados enfrentaram greves na Polícia Militar deflagradas por deputados e milicianos ligados ao presidente Jair Bolsonaro. Durante o período da greve o deputado federal Eduardo Bolsonaro esteve nestes estados, apoiando o movimento, que quase causou uma tragédia, com a resistência do senador Cid Gomes (PDT-CE), irmão do ex-ministro Ciro Gomes, que foi atacado a tiros quando tentava romper um bloqueio feito pelos milicianos.

Crítica a Bolsonaro

Na sua fala, Rui Costa continuou atacando as ações do presidente Jair Bolsonaro, que comprou briga com os governadores e prefeitos de Capital, que lutam praticamente sozinhos contra o Covid19, enquanto o governo federal cria dificuldades, como, por exemplo, a tentativa de impedir o governador Flávio Dino de comprar respiradores da China.

“Talvez estes lunáticos que seguem este padrão de pessoa que curte em jet-ski, comemorando a morte de 10 mi9l brasileiros, estes lunáticos eu não sei onde eles estavam internados durante todos estes anos, porque é assustador ver pessoas até de formação de nível superior seguir este padrão de comportamento. Eu realmente fico triste ao constatar que tem gente que ainda consegue apoiar coisa desumana, cruel, debochada como esta. Isto me deixa indignado”, frisou.

Para Rui Costa não é possível numa  situação de perda de vidas humanas, onde a união de esforços é necessária para o bem de toda coletividade, que existam pessoas com comportamento desumano, fascista, fazendo de tudo para atrapalhar os esforços das autoridades sanitárias para conter a pior pandemia deste século.

“Pedi a Deus para me dar força para lidar com este tipo de gente egoísta, que só pensa em fazer política partidária, que só pensa em  em ganhar manchetes ou ‘likes’ gratuitas caluniando os outros. Eu vou seguir nesta marcha. Recebi mensagens encorajadoras de pessoas incentivando o nosso trabalho. Não é fácil perceber que há muita gente do mal, que não quer ajudar o próximo, que só pensam que para abrir o seu butecozinho não querem medir esforços, mesmo que matem milhares de pessoas. Gente, vamos ter um pouco mais de serenidade. Mais alguns dias nós vamos voltar à normalidade, e vamos trabalhar para reparar o prejuízo. Infelizmente, vamos ter que superar o fato do Brasil não ter um líder, alguém capaz para conduzir a nossa nação. Mas a nossa nação é forte e juntos, com fé em Deus vamos superar as dificuldades que estamos vivendo”, concluiu.