A política do presidente Jair Bolsonaro de liberar geral o uso de venenos proibidos nas lavouras da Europa e dos Estados Unidos já começa a trazer prejuízos para a agricultura brasileira. Suecos se recusam a comer alimentos que podem acusar câncer e boicotam produtos do Brasil.

A jornalista Claudia Wallin, correspondente da rede RFI em Estocolmo, na Suécia, pubicou nesta quarta-feira, 5, matéria onde relata que a Rede Paradset, um dos maiores grupos supermercadistas da Suécia, anunciou boicote a produtos agrícolas brasileiros. O motivo: a liberação recorde pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) de 197 agrotóxicos, dos quais, 26% são proibidos na Europa e nos Estados Unidos, por trazer prejuízos à saúde humana com riscos inclusive de causar câncer.

“Precisamos parar (o presidente) Bolsonaro, ele é um maníaco”, disse à RFI o presidente do grupo Paradiset, Johannes Cullberg, que emendou: “Não posso escolher o presidente do Brasil, mas posso escolher o que vou comer.”

Boicote

Presidente do grupo Paradiset, Johannes Cullberg.
Foto: Kate Gabor

Na entrevista, Cullberg afirmou à Claudia Wallin que quando leu na imprensa a notícia da liberação de tamanha quantidade de agrotóxicos pelo presidente Bolsonaro e a ministra (da Agricultura) Tereza Cristina, ficou tão enfurecido que enviei um email a toda sua minha equipe, com a ordem “boicote já ao Brasil’”.
De acordo com a RFI, a Paradiset é a maior rede de produtos orgânicos da Escandinávia. Ela já retirou de suas prateleiras os seguintes produtos brasileiros: quatro diferentes tipos de melão, melancia, papaya, limão, manga, água de coco e duas marcas de café, além de uma barra de chocolate que contém 76% de cacau brasileiro em sua composição.

Leia mais no site da RFI