Depois da morte de mais uma criança em decorrência da ação truculenta da Polícia Militar do Rio de Janeiro em comunidades e favelas,  e cinco partidos de esquerda  (PT,  PSOL, PSB, PDT e PC do B)  resolveram acionar o Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra o governador do Rio de Janeiro, Wilso Witzel (PSL).

Desde que Witzel assumiu, inúmeros estudos mostram que o número de vítimas, muitas delas inocentes, em decorrência da ação policial, aumentou exponencialmente. O assassinato da menina Ágatha, de apenas 8 anos, no sábado, reacendeu o debate sobre a política de extermínio que a atual gestão estadual utiliza na área da segurança pública.

“A morte da pequena Aghata Vitória Salles Felix, de 8 anos de idade, com um tiro de fuzil nas costas, no complexo do Alemão, na última sexta-feira (21) somente reforçou nossa certeza de que é preciso parar essa política de extermínio da população pobre e das periferias do estado do Rio de Janeiro. Ághata foi a quinta criança morta em ações policiais neste ano”, diz

A menina Aghata Felix, 8 anos, foi morta por um tiro de fuzil disparado por agente da PM na favela do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro

Nesta segunda-feira, 23, o governador Wilson Witzel deu entrevista coletiva, quase trrês dias após o assassinato de Ágatha, e culpou usuário de drogas pela morte da criança. “Aqueles que usam substâncias entorpecentes de forma recreativa, façam uma reflexão. Vocês são responsáveis pela morte da menina Ágatha: vocês que usam maconha e cocaína e dão dinheiro para genocidas”, disse ele (leia mais no Brasil 247).

No domingo (22), o candidato do PT à presidência em 2018, Fernando Haddad, chegou a chamar Witzel de “assassino” e defendeu a abertura de um processo de impeachment contra o governador.

Confira, a abaixo, a íntegra da nota sobre a notícia crime enviada ao STJ contra o chefe do Executivo do Rio de Janeiro.

A letalidade observada nas operações militares comandadas pelo atual governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel tem despertado preocupação e revolta da sociedade civil em nível nacional e internacional.

A truculência em operações policiais era uma das pautas defendidas por Witzel quando ainda aspirava como candidato nas últimas eleições estaduais, adotada desde janeiro como política de governo.

A morte da pequena Aghata Vitória Salles Felix, de 8 anos de idade, com um tiro de fuzil nas costas, no complexo do Alemão, na última sexta-feira (21) somente reforçou nossa certeza de que é preciso parar essa política de extermínio da população pobre e das periferias do estado do Rio de Janeiro. Ághata foi a quinta criança morta em ações policiais neste ano.

Nesse sentido, os partidos de oposição, no compromisso com a democracia, com uma política de segurança pública responsável, com a defesa dos direitos da população vulnerável e com a vida das crianças, apresentam uma NOTICIA CRIME AO SUPERIOR TRIBUNAL JUSTIÇA contra o governador do Estado do Rio de Janeiro Wilson Witzel, para que responda pelos crimes que vem sendo praticados pela polícia militar do estado que governa, que ocorrem sob seu aval, estímulo e fomento.

A ação será protocolada nesta segunda-feira. Esperam os partidos que haja uma resposta do Poder Judiciário para fazer cessar essa guerra aberta, cuja vítima é a sociedade.”

CARLOS LUPI – Presidente do PDT
CARLOS SIQUEIRA – Presidente do PSB
GLEISI HOFFMANN – Presidenta do PT
JULIANO MEDEIROS – Presidente do PSOL
LUCIANA SANTOS – Presidenta do PCdoB

Com informações dos site Brasil247 e Revista Fórum