Jacques Wagner acusa presidente de prevaricação, Ciro Gomes pede intervenção. Ambos alegam insanidade e querem destituição de Bolsonaro do mandato.

Do Brasil 247

 

O senador Jaques Wagner (PT-BA) apresentou ontem,  sexta-feira (5), ao Supremo Tribunal federal (STF), uma notícia-crime acusando Jair Bolsonaro de cometer crime de prevaricação ao adotar uma “postura convictamente negacionista” da pandemia.

“O presidente sabe que tem gente morrendo, sabe que precisa comprar vacina e faz de conta que não sabe de nada. E ainda se coloca contra a vacina. É um crime. Para mim, o presidente doido virou bandido”, disse o senador pelo Twitter.

“O que ele está fazendo é crime conhecido. Prevaricação é não tomar atitudes necessárias diante de um grave problema. O presidente sabe que tem gente morrendo, que precisa comprar vacina e faz de conta que não sabe de nada. E ainda se coloca contra a vacina. É um crime”, pontuou o senador.

Interdição

O presidente do PDT, Carlos Lupi, e o vice-presidente, Ciro Gomes, também entraram, ontem,  sexta-feira, 5, com uma ação judicial de interdição de Jair Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF), segundo o Globo. A Carta Capital afirmou, porém, que o pedido deve ser protocolado na segunda-feira, 8.

“O documento mostra a incapacidade de Bolsonaro para seguir como presidente. O objetivo da ação judicial é o de impedir as ações negacionistas, que multiplicam as mortes por Covid-19. Temos inúmeras provas (entre elas, as declarações “chega de frescura, de mimimi, vão ficar chorando até quando?” e “vai procurar vacina na casa da sua mãe”)”, disse Lupi.

‘Bolsonaro é louco’

“Eu acho que ele é louco e precisa ser interditado antes que mais brasileiros morram por sua loucura”, acrescentou Lupi.

“Nós já fizemos de tudo. Estamos na Corte de Haia contra ele, por esse crime contra a humanidade. Nós estamos no Supremo Tribunal Federal, e agora vou pedir ao nosso jurídico para fazer a interdição”, salientou.

 

Com informações do Globo e Carta Capital