Levantamento do Instituto Grupom mostra que dos 33,8% que não querem vacinar, 95,6% são contra a obrigatoriedade da vacina do coronavírus

Pesquisa do Grupom revela que 63,4%  dos goianienses (1/3 da população) não pretendem ou ainda não sabem se vão se vacinar contra a covid-19. É o que mostra uma pesquisa Grupom divulgada na segunda-feira (28).

Conforme o levantamento, 33,6% afirmam que vão se vacinar e destes, 95,5% são contra a obrigatoriedade da vacina.

O Grupom ouviu 553 pessoas entre 20 e 24 de dezembro, em 243 bairros da capital goiana. As pessoas entrevistadas têm entre 16 e 70 anos de idade.

Aqueles que afirmam que vão se vacinar são, em sua maioria, moradores da região Centro-Sul (75,8%), menor de 24 anos (80%) e celetistas (75,5%). A profissão com maior adesão é de jornalistas, com 87,5%.

A resistência à vacina é maior em moradores da região Oeste (23,9%), entre 25 e 34 anos (22,5%), desempregado (40%).

Contra obrigatoriedade
A maioria dos goianienses afirma que a imunização deve ser voluntária. Segundo o Grupom, 51,2% são contra obrigar as pessoas a se vacinar, enquato 45,6% apoiam a compulsoriedade.


Entre aqueles que pretendem vacinar-se, 63,4% consideram que a aplicação da vacina deveria ser obrigatória para toda a população, enquanto que 33,8% consideram que a aplicação da vacina não deveria ser obrigatória. A situação mostra que a obrigatoriedade da vacinação não é uma questão resolvida para a população e que a opinião desta está dividida sobre o tema.