Bolsonaro é um cafajeste. Não há outro adjetivo que se lhe ajuste melhor”. A declaração faz parte de um texto escrito, para as redes sociais, pelo promotor de justiça do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), da 6ª Promotoria de Justiça da Comarca de Jataí, Paulo de Tharso Brondi de Paula Rodrigues.

Também conhecido apenas como Dr. Paulo Brondi, o promotor teve seu texto viralizado na internet nos últimos dias. Sua ácida crítica ao presidente Jair Bolsonaro e aqueles que o rodeiam rendeu republicações tanto nas próprias redes sociais, quanto também em grandes portais da internet.

No seu blog pessoal no UOL, o popular jornalista Juca Kfouri publicou o texto do promotor goiano na integra. O título, que segue a mesma acidez do texto, não poderia ser diferente:

A cafajestagem Bolsominion.

Promotor goiano critica Bolsonaro, sua família e apoiadores em post

Dr. Paulo Brondi, em sua critica, começa seu post definindo Bolsonaro, sua família e seus aliados como cafajestes. A critica do promotor também alcança aqueles que enxergam no presidente uma identificação.

“Porém, não é só. E algo que se constata é pior. Fossem esses os únicos cafajestes, o problema seria menor.  Mas, quantos outros cafajestes não há neste país que veem em Bolsonaro sua imagem e semelhança?”, declara.

Além disso, o promotor continua: “aquele tio idiota do churrasco, aquele vizinho pilantra, o amigo moralista e picareta, o companheiro de trabalho sem-vergonha. Bolsonaro, e não era segredo pra ninguém, reflete à perfeição aquele lado mequetrefe da sociedade.”

Dr. Paulo Brondi ainda afirma que “nem todo bolsonarista é canalha, mas todo canalha é bolsonarista”. Além disso, ele também declara que o “bolsonarismo ousou voar alto, mas o tombo poderá ser infinitamente mais doloroso, cedo ou tarde.”

Por fim, ele conclui seu pensamento dizendo que “Jair Messias Bolsonaro é a parte podre de um país adoecido”.

 

Veja a integra do artigo: