“Privacidade Hackeada revela que a empresa britânica Cambridge Analytica criou fake news (notícias falsas e maliciosas) que ajudaram conservadores a vencerem o Brexit na Inglaterra e  Donald Trump a ganhar a presidência nos EUA. O mesmo método FOI utilizado depois na eleição de Jair Bolsonaro (PSL-R) no Brasil.  Bolsonaro usou a “mamadeira de piroca”  para desmoralizar a o petista Fernando Haddad.  Nos Estados Unidos uma campanha suja foi feita na internet para atacar a honra de Hillary Clinton, a candidata apoiada pelo presidente Barak Obama. As manipulações da Cambridge levaram a empresa a ser investigada pelo Congresso dos EUA e pela Câmara dos Lordes na Inglaterra. Facebook e Whatssap levaram multas. No Brasil, após as relevações feitas pela Vaza Jato – através de uma série de matérias publicadas pelo site The Intercept Brasil, e pelos jornais Folha de S. Paulo, El País, Correio Brasiliense, Revista Veja e BandNewsFM, uma CPI foi instalada para apurar o uso das fake news na campanha de 2018.

Marcus Vinícius – Durante o Brexit, a Cambridge patrocinou postagens nas redes sociais que induziam os ingleses ao terror, com  mensagens dizendo que a permanência da Inglaterra na União Européia estimularia ataques terroristas  à ilha. O mesmo estilo terrorista de campanha foi aplicado também pela empresa em eleições na  Argentina (2015), Malásia (2013), Quênia (2013) Itália (2012), Colômbia (2011), Índia (2010),  Trindade e Tobago (2009) e Tailândia (1997) , para citar alguns países que foram listados no documentário.

O Congresso Nacional  brasileiro iniciou neste mês de setembro a “CPI das Fake News” que promete desvendar  todo este esquema que impulsionou milhões de memes com notícias falsas na internet, promovendo a candidatura do “mito”.

 

Terrorismo digital

Uma cartilha falsa  atribuída ao Ministério da Educação, no governo de Dilma Roussef, que teria a “mamadeira de piroca” foi usada pelo candidato Jair Bolsonaro na sua campapanha presidencial em 2018. Seu objetivo foi acusar Fernando Haddad de incentivar a pedofilia.  Imagens de Hyllary Clinton algemada com os dizeres “ponham ela na cadeia!, foram lançados aos milhões pela campanha de Donald Trump em 2016. Vídeos no Facebook alarmando os ingleses com a frase: “União Européia facilita entrada de terroristas na Inglaterra!”, foram massificados nas redes sociais pelos estrategistas da campanha do Brexit em 2014. Todas estas táticas terroristas foram idealizadas por um homem:  Steve Bannon, estrategista do Brexit e  das campanhas de Trump e de Jair Bolsonaro. Bannon foi  um criadores da Cambridge Analytica, a empresa que hackeou dados no Facebook de 87 milhões pessoas e manipulou eleições em todo o mundo..

Este “admirável mundo novo” de fraude e manipulações nas eleições é destrinchado no documentário “Privacidade Hackeada”, que está disponível no Netflix.

 

Massificação de notícias falsas

A equipe de Trump criou um conteúdo personalizado para atingir estes objetivos, Num deles,  o embaixador John Bolton, que se tornaria depois Chanceler de Donald Trump, aparece num vídeo dizendo que “os terroristas adoram se infiltrar no país (EUA) através de fronteiras desprotegidas. Vastas áreas desprotegidas de divisas permitem que terroristas entrem nos EUA.  As imagens, no entanto, mostram imigrantes ilegais tentando atravessar do México para os Estados Unidos. Foi versão Trump para a “mamadeira de piroca” de Bolsonaro.

Esta estratégia  envolveu artigos em jornais, sites, vídeos, anúncios, que foram bombardeados  em blogs e em todas as plataformas possíveis. No Brasil,  instruída por Steve Bannon, a equipe de Carluxo, o “03” priorizou as mensagens ofensivas ao PT, Lula, Dilma, gays, lésbicas e professores universitários  no wathassap.

Isto foi feito até a exaustão, até que o público americano  e brasileiro visse o que os marketeiros de Trump e Bolsonaro queriam. Foi feito  até que voassem  nesses candidatos.

Como um bumerangue você envia os seus dados, eles são analisados e voltam para você como uma mensagem direcionada, para mudar o seu comportamento. Neste sentido, a campanha de Donald Trump concentrou materiais para desacreditar moralmente Hillary Clintom com memes ofensivos como, por exemplo, o “Defeat crooked Hillary”(Derrotar desonesta Hillary). No caso do PT, a questão de gênero, religiosa, e a law-fare da Lava Jato, ou seja, a manipulação dos processos judiciais contra figuras do PT e da oposição, ajudaram a levar Jair Bolsonaro ao Palácio do Planalto. As revelações da Vaza Jato lançaram luz sobre como a  Lava Jato e seus líderes, o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol utilizaram a operação para ajudar derrotar Lula e eleger Bolsonaro.

 

Internacional  Fascista

Steve Bannon faz lobby para indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada do Brasil em Washington

Após escreverem em 1848  o livro “Manifesto Comunista”, o filósofo alemão Karl Marx e empresário prussiano Friedrich Engels , iniciaram um movimento para criação de uma associação internacional que reunisse sindicatos e partidos operários de todo o mundo. A Associação Internacional dos Trabalhadores, também conhecida como Primeira Internacional ou simplesmente Internacional, seria fundada em setembro de 1864.  Steve Bannon e seu grupo fundou a “Internacional Fascista”, de extrema-direita em 2014  que bancou a a campanha do Brexit e de Donald Trump, dois anos depois. Bannon disse em alto e bom som que era preciso destruir a democracia. Este discurso de destruição é repetido por seus pupilos, Trump e Bolsonaro.

 

Para construir é preciso destruir o que foi feito. Para tal, você cria duas ou três idéias simplistas e fáceis de entender para qualquer um e as repete várias vezes para provocar a raiva das pessoas. Se as pessoas estão com raiva, elas votarão, ” disse Bannon.

Durante um jantar em Wahshington, na presença de Steve Bannon, Olavo de Carvalho e outros pensadores de extrema-direita, o presidente Bolsonaro repetiu o “mantra” de Bannon:

 “O Brasil não é um terreno aberto onde nós pretendemos construir coisas para o nosso povo. Nós temos é que desconstruir muita coisa. Desfazer muita coisa. Para depois nós começarmos a fazer. Que eu sirva para que, pelo menos, eu possa ser um ponto de inflexão, já estou muito feliz”, afirmou.

O Facebook está sendo multado em US$ 5 bilhões justamente por causa da invasão da privacidade de seus usuários, que foi quebrada no caso da Cambridge Analytica.

“A ordem impõe um regime privado que inclui uma nova estrutura de governança corporativa, com prestações de conta individuais e corporativas com monitoramento de conformidade mais rigoroso. Esta abordagem aumenta consideravelmente a probabilidade de o Facebook estar em conformidade com a ordem. Se houver algum desvio, provavelmente será detectado e remediado de forma rápida”, anunciou a FTC, órgão responsável pela penalidade.

 Privacidade Hackeada aborda o escândalo sob o ponto de vista de várias personagens, como Brittany Kaiser,ex-diretora de desenvolvimento de negócios da Cambridge Analytica, responsável por delatar tudo o que estava sendo feito pela empresa. Kaiser foi questionada pelos legisladores do Reino Unido e por Mueller. Antes de ingressar na Cambridge Analytica, ela trabalhou na campanha presidencial de Barack Obama,e por  este conhecimento sobre o universo do Partido Democrata  ela cooptada pelos sócios da Cambribge para sabotar a campanha de Hyllary Clinton..

 

Manipulação

Brittany Kaiser, ex-diretora da Cambridge Analytica

Kaiser revelou, entre outras coisas, os meandros do  Projeto Alamo, que foi organizado  para campanha de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos. Segundo ela, foram feitos à época  da campanha de Trump investimento de US$ 1 milhão por semana no Facebook  sob a coordenação da Cambridge Analytica.

“Através do Facebook, a Cambridge Analytica teve acesso a 5.000 pontos de medição de eleitores, através dos quais, a C.A. trabalhou o voto de 70 mil eleitores indecisos, os chamados, persuasíveis, em quatro Estados norte-americanos que seriam decisivos para a eleição de 2016: Michigan, Flórida, Winsconsin, Pensilvânia”, relata Brittany Kaiser.

“Eu tenho provas de que as campanhas de Brexit e de Trump podem ter sido realizadas ilegalmente.  E por isto não podem saber onde estou, a pessoa que está tentando derrubar dois governos e as pessoas mais poderosas do mundo”, enfatiza.

Ela salienta que as empresas mais ricas são as de tecnologia, como a Google, Fcebook, Amazon, Tesla, e a razão pela qual elas são as maiores empresas do mundo é porque no ano passado elas superaram as emprsas de petróleo em valor. Dados são os recursos do planeta, e estas empresas são valiosas, porque elas tem explorado os recursos das pessoas.

 

 

Veja o trailler de Privaticade Hackeada

https://youtu.be/wjXYCrxRWqc

 

 

Leia mais:

CPI das Fake News aprova plano de trabalho

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/09/25/cpi-das-fake-news-aprova-plano-de-trabalho-e-convocacao-de-empresas

Começam a desmoronar as redes sociais do bolsonarismo

https://www.brasil247.com/midia/exclusivo-comecam-a-desmoronar-as-redes-sociais-do-bolsonarismo

Whatssap bane 1,5 milhão de contas do Brasil por fake news

https://www.gazetadopovo.com.br/economia/breves/whatsapp-bane-milhoes-de-contas-no-brasil-por-fake-news/

 

 

Steve Bannon, assessor de extrema-direita de Trump declara apoio a Bolsonaro

https://oglobo.globo.com/brasil/steve-bannon-ex-assessor-de-trump-ligado-extrema-direita-declara-apoio-bolsonaro-23187643

 

As pistas do método “Cambridge Anayltica” na campanha de Bolsonaro

https://www.cartacapital.com.br/politica/as-pistas-do-metodo-201ccambridge-analytica201d-na-campanha-de-bolsonaro/

Bolsonaro repete métodos de Donald Trump na sua campanha

https://www.brasildefato.com.br/2018/10/04/bolsonaro-repete-metodos-de-donald-trump-em-sua-campanha/

Relembre nove fake news na campanha presidencial

https://www.brasildefato.com.br/2019/04/01/neste-1o-de-abril-relembre-nove-fake-news-que-marcaram-o-cenario-politico-do-brasil/