A testagem da população está sendo realizada após sorteio de quadras residenciais de forma que alcance os moradores dos sete distritos sanitários de Goiânia.

O aposentado e microempresário Joaquim Claudino Neto, de 65 anos, foi a primeira pessoa do Distrito Sul a ter o sangue coletado para o quarto inquérito sorológico populacional que está realizado neste sábado (11/07), em toda Goiânia, para ver a curva de transmissão do novo coronavírus. A ação da Prefeitura de Goiânia, realizada por meio da Secretaria Municipal de Saúde, é mais uma medida de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus desenvolvida na capital.

Morador do setor Pedro Ludovico, mesmo tendo familiares de amigos com a Covid-19, seu Joaquim estava agradecido por fazer o teste e ao mesmo tempo tranquilo em relação ao resultado.

“Estou de quarentena e se tenho que sair me resguardo, sempre uso máscara. Não acho de bom senso a pessoa se arriscar num momento tão perigoso”, afirmou.

Na mesma rua do setor Pedro Ludovico mora o supervisor de vendas, Jesaías Lemes de Oliveira que também foi testado.

“Sou muito grato por ter a oportunidade de fazer o teste, não tenho sintomas, mas posso ter a doença e estar passando ela para outras pessoas sem saber”, disse.

A testagem da população está sendo realizada após sorteio de quadras residenciais de forma que alcance os moradores dos sete distritos sanitários de Goiânia. A exemplo dos anteriores, nesse inquérito, apenas um membro por família é testado. Ao todo, 207 equipes devidamente identificadas, cada uma com dois profissionais de saúde, estão fazendo a coleta de sangue para a realização do exame e aplicando um questionário onde o paciente responde questões referentes a possíveis furos de quarentena, contatos com infectados e manifestações sintomáticas.

A secretária de saúde, Fátima Mrué, que passou o período da manhã visitando todos os sete distritos sanitários, falou da importância da testagem.

“Esse teste nos permite identificar a exposição da pessoa ao novo coronavírus. Se ela já foi infectada na amostra de sangue vai aparecer anticorpos que são defesas que o organismo desenvolve para combater a doença. Isso vai nos permitir ver a curva da transmissão dentro de Goiânia o que é fundamental para direcionarmos as ações de controle”, explicou.

“O resultado da testagem de hoje vai demonstrar o cenário de Goiânia há duas semanas atrás que é o tempo que leva para uma pessoa desenvolver os anticorpos”, ensina o superintendente de Vigilância Epidemiológica, Yves Mauro Ternes.

Os resultados dos exames poderão ser acessados online pela página da SMS em até quatro dias após a visita técnica. O Inquérito Soroepidemiológico é uma ação realizada pela Secretaria Municipal De Saúde (SMS) e conta com parcerias da Universidade Federal de Goiás (UFG) e Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO).