O novo sistema de bilhetagem eletrônica Sitpass da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) foi apresentado ontem, em evento realizado na sede da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). Com tecnologia de ponta e diversos recursos digitais, o novo sistema vai tornar a utilização do transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia mais fácil, além de ampliar o acesso do usuário ao serviço.

O novo modelo terá serviços como a biometria facial, pagamento por QR Code, cartões Sitpass, cartão de crédito ou débito por aproximação (NFC), pagamento em nuvem, recarga a bordo, wi-fi a bordo e atualização de dados dos cartões a bordo. A primeira fase, que contempla a biometria facial e o QR Code, será executada em até oito meses. A previsão é que o novo sistema esteja em pleno funcionamento até dezembro de 2020, mas com novidades até julho do ano que vem.

Importante ressaltar que é um sistema prático, que também usa a internet e smartphone possibilitando inserir cartões de crédito e débito no pagamento de viagens, opção que vai facilitar muito a adesão ao serviço via essas novidades. “Penso que os usuários não terão nenhuma dificuldade de adaptação às mudanças. Essas ferramentas estão em nosso cotidiano e a implantação do novo modelo será feita sem prejudicar o atendimento. Faremos uma comunicação direcionada esclarecendo os benefícios da mudança”, reforçou o presidente da CMTC, Benjamin Kennedy Machado da Costa. Goiânia e região metropolitana têm hoje 550 mil passageiros em dia útil. Esse atendimento continuará sem nenhum prejuízo ao usuário.

A nova tecnologia, além de deixar as viagens mais agradáveis e o sistema de transporte mais prático e seguro, vai permitir a flexibilização tarifária por tipo de dia, horário ou linha, e possibilitar maior integração eletrônica entre as linhas sem uso dos terminais.

“Hoje temos uma taxa de R$ 4,30. Essa redução futura pode representar um custo de R$ 1,50 à R$ 2,00 para curtas distâncias. E também em períodos alternativos, como o noturno e aos domingos”, afirmou o presidente da CMTC.