Ação é executada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. As peças adaptam máscaras de mergulho a respiradores não invasivos evitando ao máximo a intubação dos pacientes. 10 adaptadores já estão em uso no Hospital Municipal de Aparecida.

Desde o início da pandemia da Covid-19 no município, todas as secretarias da Prefeitura de Aparecida de Goiânia estão trabalhando em conjunto para minimizar os impactos da doença na vida da população aparecidense. A Secretaria Municipal de Saúde está atuando na linha de frente realizando ações de enfrentamento ao novo Coronavírus como ampliação de leitos de UTI, testagem em massa da população e também o monitoramento de pacientes diagnosticados com a doença.

Peças impressas são acopladas nas máscaras de mergulho e também em tubos de filtragem de ar (Foto: Claudivino Antunes)

E aliada à essas ações, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação imprime, desde julho, peças para adaptar respiradores a máscaras de mergulho, auxiliando no tratamento de pacientes que necessitam de internação e oxigênio.

As peças são produzidas por uma impressora 3D, adquirida para a realização dos projetos do Centro de Tecnologia Assistiva, da secretaria. Após a impressão das peças, que são tubos com entrada e saída, elas são acopladas às máscaras de mergulho, que em conjunto com filtros de ar também acoplados à esta peça, permitem ao paciente inspirar e expirar, sendo que na hora que expele o ar, este não contamine o ambiente, protegendo os profissionais de saúde ao redor. Esta técnica, segundo o diretor do Hospital Municipal de Aparecida, Sérgio Vencio, proporcionou utilizar um aparelho de ventilação não invasiva, que por conter alto risco de contaminação, foi abolido no início da pandemia, evitando então a intubação do paciente. O HMAP já recebeu 10 peças.

Impressora 3D produz adaptadores para mascara de mergulho usadas no tratamento de pacientes com Covid-19 (Foto: Claudivino Antunes)

A previsão do secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Aparecida, Cleomar Rocha, é produzir mais 30 peças nos próximos dias. Cada peça demora até 4 horas para ser finalizada. “Ao mesmo tempo em que ajuda o paciente e evita procedimentos invasivos, a utilização da máscara de mergulho adaptada com a peça impressa usando a tecnologia avançada da impressão 3D, amplia o potencial de atendimento do sistema de Saúde do município aos acometidos pela doença. Estamos todos unidos contra o vírus”, explica ele, informando ainda que a secretaria está trabalhando a todo vapor, imprimindo peças diariamente, sem interrupção, inclusive aos finais de semana. “Assim, podemos criar mais leitos para atendimento de pacientes que necessitam de oxigênio no HMAP”.

Face Shield

Além das peças para adaptar o uso das máscaras de mergulho, a impressora 3D da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Aparecida produz ainda máscaras faciais, conhecidas como face shields. Até o momento já foram produzidas 100 máscaras para a Universidade Federal de Goiás, com utilização de materiais da universidade, que foram distribuídas em unidades de saúde. Agora, com recursos e materiais da Prefeitura, serão impressas mais 250 máscaras para a Secretaria de Saúde do município. Neste processo é utilizada também uma máquina de corte a laser (CNC). Os materiais foram adquiridos pelo Projeto da SCTI Minilab Cidadão.