A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), iniciou na quinta-feira (30/1) o segundo turno da operação tapa-buracos.

De acordo com o secretário Dolzonan da Cunha Mattos, serão mais oito equipes trabalhando das 16h às 22h para atender às demandas em todas as regiões de Goiânia. Os serviços podem ser solicitados por meio dos canais de atendimento da secretaria.

Com o turno atual, as equipes chegam a tapar mais de 730 buracos por dia em 15 bairros, utilizando 15 caminhões com oito toneladas de massa asfáltica em cada um. Com o segundo turno a expectativa é dobrar o atendimento.

Neste primeiro dia do segundo noturno, as equipes estarão trabalhando nos setores Novo Mundo, Universitário, São Judas Tadeu, Jardim Pompéia, Jardim América, Sol Nascente, Cidade Jardim e Nova Esperança.

Estatística
No ano passado, apesar da irregularidade no fornecimento de massa asfáltica, foram realizadas mais de 4,2 mil operações, o que garantiu que todos os bairros fossem atendidos mais de uma vez por mês. 192.739 buracos foram tapados e mais de 44.208,85 m² de cortes no asfalto, recuperados. Para a execução dos dois serviços foram consumidas 18.424,17 toneladas da CBUQ, (Concreto Betuminoso Usinado à Quente), revestimento asfáltico recomendado para vias públicas e investido um valor estimado em R$ 7.800.00,00 somente em massa asfáltica. *

Reconstrução de 630 km
A Prefeitura estima iniciar ainda nesse semestre a reconstrução de 630 km da pavimentação asfáltica, o equivalente a 7.412.758,73 m² de ruas, avenidas e trechos de vias em 110 bairros localizados em todas as regiões da cidade.

O processo licitatório está em fase de julgamento dos recursos apresentados pelas empresas participantes e de acordo com o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos, tão logo sejam definidas as empresas responsáveis, será assinada as ordens de serviços para que o início dos trabalhos. “Estamos aguardando a finalização da concorrência pública para que as empresas comecem logo a trabalhar, porque muito da pavimentação asfáltica da nossa capital já não suporta mais os remendos com operação tapa-buracos e com isso teremos uma nova malha viária, com muito mais segurança para os usuários”, explica.