Com a chegada do período chuvoso na capital, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Vigilância em Zoonoses, alerta a população sobre a importância de manter ações rotineiras de combate ao mosquito da Dengue.


Os agentes de endemias estão realizando as visitas domiciliares sem entrar nas residências por causa dos protocolos da Covid-19. Mas eles fazem o trabalho de orientação aos moradores sobre como cuidar do interior dos seus imóveis no combate o Aedes Aegypti.

De acordo com Izaías Ferreira, do Departamento de Zoonoses, são atitudes simples que  controlam a proliferação do mosquito. “Orientamos sempre que as pessoas devem manter limpos os ralos, calhas, piscinas e caixas d’água, além de não deixar água nos pratinhos das plantas e retirar do quintal tudo que possa acumular água. Bastam alguns minutinhos por dia para que os criadouros sejam eliminados”, enfatiza.

A Vigilância em Zoonoses também realiza, dentro do programa de combate à dengue, o projeto de “Disseminadoras de Larvicidas” que consiste em colocar um recipiente com tecido preto impregnado de larvicida em regiões estratégicas de importância epidemiológica e entomológica. Em Goiânia eles estão localizados nas regiões Leste, Norte, Oeste e Noroeste.

Ao pousarem nessas superfícies, as fêmeas ficam impregnadas com partículas de larvicidas e acabam levando o produto para outros criadores e, com isso, matam larvas e pupas, inclusive em criadouros que muitas vezes não poderiam ser localizados pela população e pela equipes de vigilância.

Outras ações também são realizadas, como o bloqueio de casos com bomba costal motorizada e visitas estratégicas em ferros velhos, borracharias e floriculturas.

Balanço

Em 2019 a dengue matou 17 pessoas em Goiânia. Em 2020 foram notificados o total de 16.132 casos e três óbitos, sendo que em 2021 já foram notificados 222 casos, mas nenhum óbito  foi confirmado até o momento.