A Prefeitura de Goiânia está investindo em plataformas digitais e cursos que ensinam a vender pela internet para capacitar feirantes nestes tempos de pandemia.

O www.portalfeirahippie.com.br é o mais novo canal da população com um dos maiores centro de compras do país.

De acordo com o secretario municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia, Walison Moreira, essa ação de divulgação é uma maneira de amenizar os transtornos causados pela pandemia.

Segundo ele, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, determinou em reunião que a Sedetec auxiliasse os feirantes com os cursos e também com o fornecimento de cestas básicas que serão distribuídas pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), por meio de  uma triagem realizada pelas associações sob coordenação da prefeitura.

“A gestão tem um carinho enorme pela feira e pelos feirantes, vamos estar aqui sempre ajudando”, destaca.

Capacitação em comércio eletrônico

Walison Moreira  ressalta que  cursos profissionalizantes 100% gratuitos e online estão sendo construída pela Sedetec com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e associações de feiras na capital para promover a capacitação e o fortalecimento dos empreendedores em época de pandemia.

Goiânia conta com 40 feiras especiais e sete mercados públicos que concentram milhares de profissionais que estão no grupo de segmentos impedidos de funcionar devido à pandemia do novo coronavírus. Uma das estratégias é inserir o feirante no comércio eletrônico.

“O e-commerce é uma realidade em todo mundo e está resistindo a esta crise pela característica que favorece o distanciamento. Nosso papel é fomentar saídas e esse momento pode ser uma oportunidade para acelerar essa cultura de compras digitais, que certamente será mantida após a crise sanitária”, acredita Moreira.

O secretário destaca que a prefeitura promoverá a capacitação por ter os cadastros das feiras, mas que a trilha saíra de um arcabouço de mais de 100 cursos do Sebrae e será construída em diálogo com os feirantes.  “Precisamos saber deles o que atende na realidade atual, sabemos que muitos precisam se qualificar sobre meios de pagamento digitais, entrega, logística, atendimento, será uma adaptação, uma mudança de paradigma”, reforça.

Dentro da plataforma digital, o feirante pode se cadastrar e oferecer sua mercadoria, como bolsas, bijuterias, relógios ou até mesmo roupas e calçados. Além disso, a Associação dos Feirantes da Feira Hippie oferece desconto especial para associados.