O prefeito de São Paulo Bruno Covas foi um homenageados e o empresário goiano Sandro Resende discursou em nome das 50 personalidades que fizeram diferença em políticas para os jovens brasileiros.


O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), homenageou nesta terça-feira (12) 50 personalidades que fizeram a diferença na valorização e promoção de ações que se consolidaram como modelo para jovens e que seguem com sua devida importância nos dias atuais. O evento, que integra as comemorações do Dia Nacional da Juventude, celebrado no dia 12 de agosto, foi coordenado pela secretária nacional da Juventude, Jayana Nicaretta, que entregou aos homenageados a  Comenda de Mérito de ‘Parceiro da Juventude’, durante o Seminário Nacional da Juventude.


Entre os laureados, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas. O empresário goiano Sandro Resende discursou em nome dos homenageados. Sandro Resende foi o primeiro secretário de Juventude no Brasil em nível Executivo, à época da gestão de Nion Albernaz na prefeitura de Goiânia (1997 – 2000).  Ele também é fundador do Podemos em Goiás. Em 2018, à frente da presidência do Podemos, Sandro Rezende conduziu o partido no apoio à campanha de Ronaldo Caiado ao governo do Estado.

No seu discurso, Sandro Resende é salientou que a iniciativa é “coincidente” com o momento atual do País. “O evento é uma homenagem do Estado brasileiro a um conjunto de atores políticos e sociais que fizeram parte da história, que falaram de coisas importantes que aconteceram ou deixaram de acontecer. Uma geração que não teve a força e representatividade para colocar em prática tudo o que era falado lá atrás, mas que agora está chegando ao poder. Então eu vejo de uma maneira muito coincidente, pois estamos no primeiro ano do fim do bônus demográfico brasileiro,” ressaltou.

Empresário do ramo de educação, ele enfatizou a importância das políticas públicas em prol da juventude como, por exemplo, a carteira de estudante, “único instrumento oficial de incentivo ao acesso do jovem à cultura”.
Sandro traçou uma linha do tempo para falar sobre a evolução dessa política pública com o passar dos anos. Conforme lembrou, em 1985 foi celebrado o Ano Internacional da Juventude. Na ocasião, “o governo brasileiro assinou protocolo que não cumpriu, de construir os programas e a política de juventude, órgãos governamentais”.

Ele mencionou o ex-governador de São Paulo, Franco Montoro, que criou o primeiro Conselho Estadual de Juventude. “Na época meramente participativo, não tinha o caráter construtivo e deliberativo que posteriormente nós tivemos”, disse, referindo-se ao governo de Mário Covas. Por fim, o goiano frisou a sua participação, e de tantos outros colegas, na defesa da juventude.

 


“Todos nós que despertamos para a politica através dos movimentos ligados à juventude temos agora a missão de pensar o país para as próximas gerações, tendo o cuidado com os jovens, mas, sobretudo, com a nova conjuntura geracional, uma vez que pela primeira vez o número de idosos será maior que o número de jovens no Brasil”, finalizou.