Nesta terça-feira, 13, militantes petistas, sobretudo os da ala esquerda do partido mobilizam-se, às 15h, para um ato pela Educação e pela libertação do ex-presidente, preso político em Curitiba, segundo políticos e juristas do Brasil e do exterior.

 

Renato Dias

O Partido dos Trabalhadores é formado por várias correntes de pensamento, as chamadas, “tendências”, uma delas, denominada, “Diálogo e Ação Petista” montou chapas para o processo de escolha direta (PED) da direção do partido, que acontece neste mês de setembro. A dita ala esquerda concorre com chapas à direção nacional, estadual, municipal e zonais com plataforma republicana, não patrimonialista e de defesa da libertação de Luiz Inácio Lula da Silva [PT].

 Manifestação

“, ‘A eleição de 2018, sem Luiz Inácio Lula da Silva, foi uma fraude”, protesta Thelma Gomes

A manifestação programada para hoje, 13 de agosto, chamada “Tsunami da Educação” é suprapartidária, puxada pelas lideranças dos estudantes como a UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas), UNE (União Nacional dos Estudantes) e dos professores, como a Adulfg, Andes, SintIfes (Sindicatos ligados às universidades federal e institutos federais).

A con­cen­­tração acontece na Praça Universitária. Em Goiânia. Estudantes, professores, traba­lha­dores, sem terras, sem teto, índios, quilombolas, homens, mulheres, brancos, negros, LGBTs participam do ato. Com previsão de paralisação em 80 cidades do País. Contra o contingenciamento e a Reforma da Previdência, hoje em tramitação no Senado. Os ativistas se preparam também para o PED. Processo de Eleições Di­retas. Nas instâncias orgânicas do PT. A sigla foi fundada em 10 de fevereiro do ano de 1980, no Colégio Sion, em São Paulo [SP].

Duas candidaturas

“A juventude está nas ruas por Educação, democracia, cultura, arte e contra toda forma de censura”, enfatiza Ana Carola

A estudante de Ciências Sociais e designer gráfico, Ana Carola, é a candidata escolhida pela ala mais à esquerda da sigla para disputar a presidência do PT. Em Goiânia. Com um programa de defesa da libertação imediata de Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-operário metalúrgico está pre­so em Curitiba. Condenado em primeira instância pelo então magistrado Sérgio Moro. Atual ministro da Justiça e da Segurança Pública. Depois, em segunda instância, pelo TRF-4. De Porto Alegre. De forma ilegal. Sem provas robustas. Baseadas em ‘convicções’. Da PF e do MP Fede­ral. Como revela a suposta tabelinha entre Sérgio Moro e Deltan D’Allagnol.  Vazada pelo The Intercept, Veja, UOL e El País. Mais: contra a Reforma da Previdência e por direitos econômicos

Eleições internas

‘Disputamos a direção do partido com um programa de defesa da libertação imediata de Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, de forma ilegal, sem provas robustas, baseadas em convicções e em uma suposta tabelinha, como apontam os vazamentos do The Intercept”, diz o professor Humberto Clímaco

O ‘Diálogo e Ação Petista’ lançará para a presidência do PT, em Goiás, para concorrer, voto a voto, com a professora Kátia Maria, da facção PT Pra Vencer, e Antônio Gomide, deputado estadual e ex-prefeito de Anápolis, uma dissidência da fração PT Pra Vencer, o professor da Universidade Federal de Goiás, unidade de Catalão, Luiz Carvalho.

A extrema-esquerda do PT denuncia o golpe de 2016. Um impeachment sem crime de responsabilidade.  De Dilma Vana Rousseff. Ex – guerrilheira da VAR – Palmares. Presa e torturada à época da ditadura ci­vil e mi­litar. O que permitiu a ascensão de Michel Temer, a aprovação da agenda neoliberal, a Refor­ma Trabalhista e o início do processo de privatização selvagem. Como nos tempos da ‘Priva­taria Tucana’. Além da eleição, fundada em ‘Fake News’, do capitão Jair Messias Bolsonaro.