Levantamento feito para a Revista Exame pelo Instituto Ideia, mostra que a avaliação do governo de Jair Bolsonaro é péssima: 54% desaprovam a maneira como o presidente trabalha. Sua reeleição também está ameaçada, pois entre os entrevistados, 50% consideram que ele não merece continuar como presidente do Brasil, ante 39% que dariam a ele mais quatro anos no comando do país. E para piorar, Lula tem 40% contra 38% do presidente num eventual segundo turno.

Da Revista  Exame

De acordo com a pesquisa, apenas 25% aprovam a gestão bolsonarista, e 20% nem aprovam ou desaprovam. A desaprovação é maior na parcela de pessoas com idade entre 30 e 39 anos (57%), e em entre os moradores das regiões Norte (60%) e Sudeste (58%). Os números mais favoráveis ao presidente continuam predominantemente na região Norte (51% de aprovação), e entre os evangélicos (44%), sua maior fortaleza.

41% dos evangélicos
avaliam como ótimo
ou bom o governo
de Jair Bolsonaro

O recorde na desaprovação também reflete nas pessoas que acham que Bolsonaro deveria ser reeleito. Entre os entrevistados, 50% consideram que ele não merece continuar como presidente do Brasil, ante 39% que dariam a ele mais quatro anos no comando do país. A mesma pergunta foi feita sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e 52% não querem vê-lo novamente no Palácio do Planalto, contra 41% que gostariam que ele governasse o país pela terceira vez.

A avaliação ruim do presidente é  consequência de três fatores. O primeiro é a sensação de que o ritmo de vacinação ainda não decolou. Em segundo, a gente teve semanas com recordes em relação  ao número de mortos em decorrência da covid-19, e isso atrapalha a avaliação presidencial. Por último, a população não percebeu até agora um efeito positivo da nova rodada do auxílio emergencial”, diz Maurício Moura, fundador do IDEIA, instituto especializado em opinião pública.

Em sondagem também feita por EXAME/IDEIA, o petista venceria Jair Bolsonaro em um eventual segundo turno, caso as eleições fossem realizadas hoje. Lula aparece com 40% das intenções de voto, e o atual presidente com 38%. Apesar de estar dentro da margem de erro, que é de três pontos percentuais para mais ou para menos, é a primeira vez que Lula aparece vencendo a disputa pela cadeira presidencial.

 

“Temos percebido em toda a série  histórica que o grupo dos evangélicos é a fortaleza do presidente Bolsonaro,
com forte avaliação positiva. Certamente é um grupo essencial para sua reeleição. Por outro lado, Bolsonaro está com alta desaprovação no Sudeste, que chega a 58%. É uma região muito significativa porque concentra grande parte do
eleitorado”, diz Moura.

Lula vence todos no segundo turno

Lula tem 40% das intenções de voto e Bolsonaro, 38%. Apesar de estar dentro da margem de erro, que é de três pontos percentuais para mais ou para menos, é a primeira vez que Lula aparece vencendo Bolsonaro na série histórica do instituto.

Os demais potenciais candidatos seriam derrotados por Bolsonaro no segundo turno, Ciro Gomes perderia de Bolsonaro de 44% a 34%; João Doria por 44% a 26%; Luciano Huck por 40% a 38%.

Nas intenções de voto num eventual primeiro turno hoje, Lula teria 33% e Bolsonaro 32%. Os demais candidatos aparecem muito atrás, nenhum deles acima de 10%: Ciro (9%), Huck (6%), Dória (4%), Amôedo (3%), Mandetta (3%), Gentili (2%).

Lula tem 44% das intenções de voto, contra 32% de Bolsonaro na região Sudeste. Ele também ganharia no Nordeste (44% a 30%). A situação se inverte nas outras três regiões. O atual presidente venceria no Norte (63% a 19%), no Sul (47% a 34%), e no Centro-Oeste (54% a 29%).

O levantamento ouviu 1.200 pessoas entre os dias 19 a 22 de abril, por telefone. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. . A sondagem é a primeira após as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que anulou as condenações contra Lula e considerou Sérgio Moro suspeito.

Com informações do DCM e Brasil247

Clique aqui para ter acesso ao relatório completo