Comunistas querem colocar de volta às ruas movimento criado em 1980 e articulá-lo com o Movimento de Luta Pela Casa Própria.

Renato Dias
A presidente do PC do B, em Goiás, ex-deputada estadual Isaura Lemos, reúne-se, hoje, em Goiânia, com o governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino, acusado de ser ‘Paraíba’ pelo presidente da República, Jair Messias Bolsonaro [PSL]. O líder comunista irá proferir uma conferência a prefeitos municipais. Os dirigentes da sigla da foice e do martelo condenam a discriminação aos nove governadores da Região Nordeste e atacam a Reforma da Previdência.

O Brasil enfrenta, hoje, grave retrocesso. Na economia, na política e na cultura.

A ‘band leader’ da legenda classifica como estapafúrdia a declaração do inquilino do Palácio do Planalto de aviltar a memória do pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Federal, Felipe Santa Cruz. Fernando Santa Cruz integra a lista oficial dos desaparecidos políticos tanto do Projeto Brasil Nunca Mais, organizado por Dom Paulo Evaristo Arns e o reverendo Jaime Wrigth, quanto da Lei 9.140, de 10 de dezembro de 1995, assim como do relatório da CNV.
– A Comissão Nacional da Verdade, cujo documento final saiu em 10 de dezembro de 2014.

Contra a carestia
Isaura Lemos relata, com exclusividade, que reativará o Movimento Contra a Carestia, criado em 1980, em Goiânia, sob a ditadura civil e militar [1984-1985]. Para articulá-lo com o Movimento de Luta Pela Casa Própria [MLCP], explica. A ex-parlamentar anuncia manifestação de protesto dia 13 de agosto. Por mais verbas para a Educação, contra a Escola Sem Partido, não à Reforma da Previdência e por liberdade de imprensa a Glenn Greenwald, jornalista dos EUA.

Por Lula Livre! Não à sua transferência, protesta.