Na véspera da celebração do Dia da Consciência Negra (20/11), o deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) quebrou um quadro em exposição na Câmara com o desenho de autoria de Carlos Latuff de um jovem negro assassinado e um policial com uma arma na mão. Outro parlamentar do PSL, Daniel Silveira (PSL-RJ), afirmou que os negros estão mais presentes no crime.

A deputada federal Jandira Fegali (PcdoB-RJ) afirmou que irá acionar o Conselho de Ética da Câmara pela atitude de Coronel Tadeu. Segundo publicado pelo jornal O Globo, os deputados David Miranda (PSOL-RJ), Talíria Petrone, Áurea Carolina (PSOL-MG) e Benedita da Silva (PT-RJ) registraram um boletim de ocorrência contra Tadeu.

Já o deputado Marcelo Freixo (PSol-RJ) decidiu denunciar ao Conselho de Ética o Coronel Tadeu (PSL-SP) e o seu colega de bancada, Daniel Silveira (PSL-RJ), que afirmou que os negros estão mais presentes no crime.

Racismo é crime. E os dois deputados racistas do PSL vão responder por isso no Conselho de Ética da Câmara”, disse Freixo no Twitter.

Racismo 

A mostra, com duração de um mês, foi aberta na terça-feira (19) justamente para marcar a data. Abaixo da charge, de autoria do cartunista Carlos Latuff, aparece o título “O genocídio da população negra”. A obra também apresentava dados sobre a violência do Estado contra negros. 

Coronel Tadeu justificou a atitude afirmando que fez um “protesto em cima do protesto deles”, de acordo com matéria publicada no G1. Tadeu disse que a imagem era um “crime contra as instituições”. Tadeu quebrou e pisoteou a peça.

A exposição foi montada no túnel que liga o plenário principal da Câmara ao anexo das comissões, espaço tradicionalmente usado para exposições.

Reação