Em São Paulo, uma ONG está treinando cidadãos a levarem informações sobre medidas de higiene e prevenção do vírus; no Rio de Janeiro, uma outra organização atua entre pessoas sem acesso à internet utilizando alto falantes e técnicas de arte para disseminar dicas de profilaxia.

A campanha Verificado das Nações Unidas está destacando uma série de ações de solidariedade no Brasil ocorridas neste momento de pandemia da Covid-19.

A iniciativa diz que “no meio da crise, os brasileiros estão se unindo em apoio no   combate ao coronavírus.”

Exemplos

Um dos exemplos é o de Agentes Populares de Saúde em São Paulo, que capacita os moradores na luta contra a pandemia.

O projeto da ONG UneAFRO treina os voluntários para apoiarem suas comunidades, informando sobre protocolos e orientações de segurança.

A campanha Verificado diz que “esses agentes” aprendem tudo desde como parar a propagação da Covid-19 até como cuidar de pessoas contaminadas.

Um esforço semelhante ocorre em algumas comunidades do Rio de Janeiro. Numa dessas favelas, Gizele Martins ajuda a distribuir dicas de saúde e pacotes de alimentos para os moradores.

Igrejas

Uma pesquisa revela que 72% dos moradores de favelas no Brasil ficariam sem dinheiro para sobreviver, com apenas uma semana de isolamento social.

Gizele Martins atua na Frente de Mobilização Maré, que trabalha com muitos moradores sem acesso à internet.

Por isso, dão o recado por alto falantes de carros e postam folhetos em igrejas e comércios do local. Uma outra plataforma é a arte de rua que transmite as mensagens sobre o vírus.

Gizele Martins disse à campanha Verificado que “é hora de pensar não apenas em si mesmo, mas como o isolamento social está afetando todas as pessoas.

Flagelo da desinformação

A campanha da ONU observa a mudança de comportamento afirmando que “em meio às manchetes negativas, as comunidades estão encontrando novas maneiras de se unir e enfrentar a pandemia.”

As Nações Unidas lançaram a campanha “Verificado” em maio para combater o que chamam de “flagelo crescente da desinformação” sobre a pandemia de Covid-19.

A iniciativa convida pessoas em todo o mundo a se inscreverem como “voluntários de informação”. Elas deverão depois compartilhar o conteúdo para manter suas famílias, amigos e comunidades seguras e bem informados.