O relator da ONU para Extrema Pobreza, Olivier De Schutter, criticou o Teto de Gastos (EC 95/2016), que restringe os gastos públicos, e alertou que a medida ameaça aumentar a desigualdade no país, além de impactar o acesso da população a serviços básicos.

Nesta quarta-feira, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) está sendo votada em plenário da Câmara dos Deputados.

“O congelamento de 20 anos no Orçamento reduz a capacidade do governo de oferecer serviços públicos. Essa atitude não vai diminuir a desigualdade, mas aumentar o desemprego e reduzir o acesso a serviços essenciais, além de piorar a situação de famílias de baixa renda”, disse o relator da ONU.

Fonte: Jamil Chade/UOL