Pesquisa no site Transparência Registro Civil, que publica  diariamente número de registro de óbitos nos cartorios do país indica que pode ser muito maior o número de mortes pelo Covid19.

Um  levantamento nos cartórios feito pelo Correio Braziliense no site Transparência Registro Civil  constatou aumento de mortes por insuficiência respiratória e pneumonia na comparação entre o ano de 2019 e os quatro primeiros meses deste ano. Vale ressalrar que estas doenças estão entre os principais sintomas do Covid19.

A pesquisa mostra que no ano de 2019 em Brasília houve 881 mortes por pneumonia. Em 2020, de janeiro até ontem  (21/04) – apenas 4 meses – morreram 953 pessoas. Em 2019, foram a óbito 486 pessoas de insuficiência respiratória. Em 2020 são 561 os mortos pela doença no Distrito Federal.

As jornalistas Ana Maria Campos e Juliana Andrade entrevistaram o presidente da Associação dos Notários e Registradores do DF (Anoreg-DF), Allan Nunes Guerra. Ele explicou que os dados são absolutamente confiáveis.

Os cartórios transcrevem para o registro de óbito o que veio na Declaração de Óbito – DO, como causa da morte.

“Não posso opinar acerca do que o médico declara como causa da morte. Mas, rigorosamente, o que ele declara vai para o registro de óbito“, explica Allan.

Goiás

Em todo Estado, no ano de  2019, morreram 1.459 pessoas de insuficiência respiratória,. Neste ano, do dia 1 de janeiro até 21 de abril, oram 1.424 mortos, ou seja, em apenas quatro meses faleceu praticamente o mesmo número de pessoas que nos 12 meses de 2019.

 

A pneumonia levou à morte de 1.832 goianos em 2019. Nestes primeiros quatro meses,  os cartorios registraram 1.714 óbitos.

 

Brasil

No Brasil, em 2019 foram 57.995 mortes por pneumonia e 44.282 por insuficiência respiratória. Nos primeiros quatro meses de 2020, os registros dão conta de  54.813 e 41.602 óbitos respectivamente.

Os números oficiais de morte por Covid19 são, até o momento: 24 no DF, 19 em Goiás e 2.462 no país.

Houve um crescimento exponencial de mortos por pneumonia e insuficiência respiratoria nestes primeiros quatro meses do ano. Verifica-se uma média três vezes maior em 2020 do que em 2019e muitos destes fslecimentos podem configurar subnotificação do Covid19, o que estatisticamente  leva à sinistra possibilidade do Brasil registrar de 100 mil vidas ceifadas pelo Covid19 durante esta pandemia.

Estes números levam em conta o isolamento social que não foi homogêneo em todo país. Goiás foi um dos primeiros a entrar em quarentena, Amazonas o último e os registros oficiais de mortos de cada Estado falam por si.

Neste momento que alguns Estados, inclusive Goiás, estão flexibilizando a quarenta,  fica a preocupação: os óbitos podem aumentar? Os registros da doença estão subestimados?

A subnotificação e a falta de testes coloca governos e a população no escuro. É necessário que as autoridades levem em conta os dados dos cartórios antes de acabar com a quarentena, cedendo a  pressão de grupos econômicos.

Neste quadro de tantas incertezas corre-se o risco de agravar a pandemia, ampliar as fatalidades, criando imensas dificuldades para a recuperação da economia.

 

Veja os dados de cada Estado e capitais no site  Transparência Registro Civil

Confira a matéria do Correio Braziliense:

Mortes por pneumonia e insuficiência respiratória aumentaram no DF